domingo, dezembro 31, 2006

Feliz Ano Novo

Este é o último post de 2006!

Está sendo muito legal escrever este blog. Há muito tinha na cabeça procurar uma maneira de registrar os acontecimentos do dia a dia para relembrar depois, mas nunca tinha conseguido. O mais perto disso foi há muito tempo, quando tinha um caderninho em que durante dois anos anotei religiosamente todos os filmes que assistí, um resumo sobre eles e algumas informações. Hoje, infelizmente já o perdi.

O grande problema é que escrever para si mesmo, pelo menos no meu caso, cansa. O blog, por ser público, por menos que tenha leitores __ e sei que tenho alguns __ acaba criando um estímulo para manter as coisas andando.

Mas o assunto é o ano que está chegando.

Se 2006, no plano pessoal foi muito bom, de resto foi um desastre. Acho que perdí minhas últimas esperanças de ver este país ser grande, no sentido qualitativo, um dia. Acho, sinceramente, que não dá mais. Perdemos o comboio da história, e lamento muito, nem tanto por mim, mas por meus filhos que herdarão este monstrengo.

Mas que venha 2007, com suas peculiaridades, suas histórias engraçadas ou não. Que os bons pensamentos que nos acolhem nesta época do ano durem um pouco mais do que usualmente. Que possamos ser um pouquinho melhores do que fomos no ano que passou. Já seria uma boa diferença.

Um bom ano novo a todos, e que se não temos muito o que sonhar, que pelo menos tenhamos a esperança.

Charge do Dia

Violência no Rio

Nos últimos anos, tivemos a explosão da violência comandada pelo narco-tráfico em 3 estados diferentes: Espírito Santo, São Paulo e Rio. Do jeito que a coisa vai ainda estoura em Minas Gerais, para fechar o sudeste.

As quadrilhas já são internacionais. Compram armas lá fora, trazem drogas da Colômbia, e também revendem no exterior. As fronteiras são desprotegidas, e a cada dia o contrabando é maior. Qualquer política para enfrentar o problema a nível estadual está destinada ao fracasso, pois trata-se de uma questão eminentemente federal.

Infelizmente, ao invés de assumir a questão como é, porque traz um custo político muito alto, nosso presidente finge que não é com ele. E ainda coloca a sua Inteligência e Forças Armadas à disposição para ajudar. Um verdadeiro democrata.

As ações que ocorreram este ano no Rio e em São Paulo são atos terroristas. A bandidagem atacou os órgãos de defesa do Estado para impedí-los de exercer a função pública. Já fugiram do controle e da capacidade das polícias militares faz tempo.

Infelizmente a situação não tem perspectiva de melhorar, muito pelo contrário. Os políticos preferem fazer uma "aliança tática" com os chefões do crime para evir a catástrofe de suas "políticas de segurança". É mais ou menos eu finjo que estou combatendo o crime e você finge que está sendo preso. O livro "A Elite da Tropa" aponta que a maioria das ações espetaculares das polícias nos morros cariocas, prendendo armas e drogas, são combinadas antes com estes chefões.

A verdade é que tanto Lula quanto FHC, para ficar só nos últimos 10 anos, fugiram do problema, que só faz crescer.

E um dia vai explodir de vez.

sábado, dezembro 30, 2006

12 Homens e uma Sentença

Título Original: 12 Angry Men (1957)
Direção: Sidney Lumet
Roteiro: Reginald Rose
Elenco: Henry Fonda, Lee J. Cobb, Ed Begley Sr

Este é um filme que adoro, e já vi várias vezes. Trata-se de um filme de tribunal pouco convencional, em que se passa praticamente todo na sala do júri em tempo real. Não assistimos o julgamento, e vemos o réu apenas uma vez.

Nos filmes usuais já sabemos de antemão se o réu é culpado ou não, ou temos uma idéia formada que depois vira ao contrário. Neste filme é impossível saber se é culpado ou não, o que é discutido é se existe uma dúvida razoável para inocenta-lo, ou em outras palavras, se existe certeza de sua culpabilidade.

Mas não é na parte jurídica o melhor do filme. O melhor é o psicológico da relação entre 12 homens que não se conhecem e que ficam presos em uma mesma sala, no dia mais quente do ano, discutindo a vida de um jovem.

As atuação são excelentes mas é o roteiro e o estilo de filmagem de Lumet que o transforma em um clássico. A cada vez que assisto me surpreendo com mais um detalhe, mais uma nuance que antes não tinha reparado. Os argumentos e principalmente os contra-argumentos são incríveis. Principalmente quando a própria tese que baseia um argumento é utilizado no contra-argumento por vezes até de questões diferentes.
Antes de iniciar a discussão os jurados tem uma rápida conversa entre si, mostrando cordialidade e procurando se conhecer um pouco. Aos poucos, durante a tensão dos debates vão se revelando um a um. E percebemos a hipocrisia que vivemos no dia a dia, e como não podemos confiar na primeira impressão das pessoas.

Grandes temas como a velhice, o preconceito, a violência e a própria democracia.
Em uma das minhas cenas favoritas, o jurado nr 9 (não ficamos conhecendo nem o nome deles, exceto dois na última cena) faz um discurso que exprime seu preconceito contra as pessoas criadas nos cortiços __ que poderia ser nossas favelas. Um a um os jurados se revoltam e deixam a mesa, com exceção de um, justamente o que aparenta ser o mais aristocrático e bem de vida entre todos. O nr 9 pergunta a ele finalmente se está escutando que ele está dizendo. Ele responde simplesmente que sim, e que não abra a boca para falar mais nada, mostrando a repulsa pelo que escutou.

Um filme maravilhoso. Com um roteiro tão rico que criei uma página só com os melhores diálogos do filme (clique aqui). Nota 10.

10 melhores, por James Hetfield

O Metallica já foi uma das maiores bandas de sua época. Entretanto perdeu seu caminho após o seu grande sucesso, o chamado Album Preto. Hetfield apresentou a sua lista da 10 melhores músicas na Rolling Stone com um breve comentário sobre cada uma delas:



01. "Free Bird – LYNYRD SKYNYRD
"Nada supera esta balada. 'Free Bird' se encaixa nos 20 primeiros anos de estrada da minha vida - sem se ligar muito às coisas, viver o agora e prosseguir."

02. "Stairway to Heaven" – LED ZEPPELIN
"Quando eu consegui meu primeiro violão, eu tirei o dedilhado inicial dela, e sai correndo pela casa dizendo, 'Olha isso - eu consigo tocar isto!' Minha família ficou com cara de 'Cadê o resto da música?'"

03. "Jailhouse Rock" – ELVIS PRESLEY
"Eu me lembro de o ver pulando sobre barras com todos os seus colegas. Ela encapsula rebelião, o que é na verdade criatividade sem rumo."

04. "Behind Blue Eyes" – THE WHO
"Essa música passa todo aquele sentimento de angústia do jovem. Ela fala sobre pedir ajuda, mas sem realmente querer. Me lembra muito de mim mesmo."

05. "Candle in the Wind" – ELTON JOHN
"'Saturday Night's All Right For Fighting' era mais meu estilo, mas poucas músicas conseguem alcançar esta melodia."

06. "God Only Knows" – THE BEACH BOYS
"Eu comecei a ouvir Beach Boys de novo há uns seis meses. Eu cresci no sul da Califórnia; pra mim, esta música fala sobre algo mais."

07. "Yesterday" – THE BEATLES
"Ela se ligou instantaneamente comigo. Ela faz você pensar."

08. "Black Sabbath" – BLACK SABBATH
"Esta música me assustou. Ela é muito mais que pesada."

09. "Smells Like Teen Spirit" – NIRVANA
"Quando toda aquela onda "Hair Metal" dos anos oitenta estava sendo exaltada, o Nirvana veio com seu som de garagem empolgante e um grande gancho. Era o que a música precisava."

10. "The Boys Are Back In Town" – THIN LIZZY
"Phil Lynott nunca teve medo de escrever a partir do coração, mesmo se fosse meio meloso. Thin Lizzy inspirou muito as harmonias de guitarra do Metallica."

Saddam Hussein

Foi enforcado hoje em Bagdá o ex-ditador Saddam Hussein. Não vou derramar lágrimas por este carniceiro, mas acho a sentença e sua execução uma imbecilidade completa. Os americanos parecem não aprender nada com a história. Saddam vivo era um símbolo dos horrores de seu tempo e do que uma ditadura se transforma. Um chamado constante às conciências. Morto é um mártir. Uma ameaça muito maior do que uma débil vida que teria pela frente.
Claro que ninguém acredita que houve justiça, houve sim justiçamento. E isto é preocupante. Não gosto da idéia dos Estados Unidos executando seus inimigos políticos pelo mundo a fora. A decisão foi da justiça iraquiana? Balela. Não existe ainda ordenamento jurídico no país para uma pena de morte desta. Os americanos conduziram o processo. Curioso que não vêem mal nenhum em aplicar a pena capital fora de suas fronteiras, sendo que nem dentro é um consenso, visto que muitos estados americanos aboliram esta pena há muito tempo.

sexta-feira, dezembro 29, 2006

Bobó de Camarão

Acabamos de chegar da casa da minha mãe onde comemos um bobó de camarão. Lógico que estamos todos cheios. Só eu repeti 4 vezes!
A Lorena estava animadíssima. Assistiu 102 Dálmatas com o avô e brincou bastante com minha vó e tia Maria. E ainda cantou o refrão de Yellow Submarine para o Alan pelo skype!
Na volta tivemos que dar uma voltinha a mais para conseguir o nosso objetivo: apagar a pequena!
Já o Luan ficou com o tio vendo albuns de fotografias do Vaticano.
Família culta hein?

Top 5 - Jogos do Mengão que eu assistí


1. Flamengo 3 x 2 Atlético (1980) - Final Brasileirão - Maracanã
2. Flamengo 3 x 1 Vasco (2001) - Final Campeonato Carioca - Maracanã
3. Flamengo 3 x 2 Vasco (1986) - Final Taça Rio - Maracanã
4. Flamengo 3 x 2 Atlético (1987) - Semi-final Brasileirão - Mineirão
5. Flamengo 3 x 3 Palmeiras (2000) - Final Copa Mercosul - Parque Antártica

Pensamento

"O poder tende a corromper, e o poder absoluto corrompe de maneira absoluta."

Lord Acton


Sempre tive curiosidade em saber o autor da frase o poder corrompe. Na verdade, o pensamento não é bem este. Lord Acton na verdade queria dizer que o poder tem uma alta tendência a corromper, mas o indivíduo pode resistir à sua sedução. E a história mostra que muitos tiveram poder e não se deixaram corromper, mostrando que não é determinístico. Só que Acton acrescenta que o poder absoluto corrompe absolutamente. Segundo ele, portanto, diante de um poder absoluto o indivíduo não consegue resitir e se deixa corromper. Não há como exisitir um ditador que não se deixe seduzir por seu próprio poderio. É de se pensar.



Charge do Dia

Finalmente!!!


Depois de várias semanas de férias finalmente consegui me deliciar com um prazer que só me permito nesta época: jogar computador. Não dá para fazer durante o ano por dois motivos. O primeiro é que sou um viciado, não consigo parar. O segundo é que os jogos que gosto duram muitas horas, não raramente indo madrugada a dentro.

Como aconteceu ontém, onde comecei a jogar Railroad Tycoon II às 9 da noite e parei às três da manhã, e me obrigando!

Nunca tinha jogado esta versão, que já é bastante antiga, tendo em vista que já está no mercado a algum tempo o RT III. Trata-se do jogo de estratégia do mestre Sid Meyer, que serviu de embrião para o maior de todos: Civilization.

Joguei o tutorial duas vezes, consegui vencer mas não consegui ainda a vitória de prata ou a de ouro. O problema está sendo o mercado de ações. Para conseguir a vitória de prata tenho que conseguir acumular 5 milhões em fortuna pessoal, sendo fundamental o dividendo das ações. O problema é que toda vez que acumulava muitas ações o adversário (computador) vendia várias, me obrigando a vender as minhas por está utilizando a margem do corretor. É uma espécie de empréstimo, que para dar certo depende da ação se valorizar. Pela ação do concorrente o preço tinha uma queda rápida, me obrigando a vender ações para recuperar a margem. A cada venda o preço despencava e era tipo uma bola de neve onde de uma vez tinha que vender um quantidade enorme do estoque a preços cada vez mais baixo. O computador então comprava as ações de volta a este preço enquanto que eu ficava na merda. Para ter uma idéia a primeira vez que ele fez isso eu tinha 2,5 milhões em ações e terminei com 1 milhão e dívida pessoal de meio.

Parece complicado?

Por enquanto é, mas vamos a uma nova tentativa!

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Pequena Viagem - Parte III

Desta vez o natal foi num hotel, para variar um pouco. Papai Noel se fez presente e deixou os presentes enquanto jantávamos.



Família e seus presentes...


Era digital...


Papai Noel está rico... deu um monte de presentes!

Top 5 - Vilões dos Quadrinhos

1. Duende Verde


2. Coringa
3. Magneto
4. Mística
5. Mercenário

Manual do Perfeito Idiota (V)

Capítulo V - O Remédio que Mata

Este é um dos capítulos em que mais me identifiquei por representar bem o meu pensamento atual. Os autores contestam a afirmação que o Estado representaria o bem comum, ao contrário dos interesses privados que só buscam o próprio enriquecimento.

A história do século mostra que ao invés de corrigir desigualdades, o Estado as intensifica cegamente. A tese é que o espaço ocupado anteriormente pela sociedade civil passa a ser ocupado pela corrupção e desperdício. Os beneficiários são poucos: uma oligarquia empresarial superprotegida da concorrência, uma oligarquia de políticos clientelistas, uma oligarquia sindical e uma burocracia parasita.

Mostra que este ideal vence a lógica histórica pela utopia do socialismo, que em certo momento tornou-se dono do futuro. É a crença que o socialismo representa o “bem absoluto” e o capitalismo o mal.

Apresenta o denominado “desenvolvimento para dentro”, em que barreira alfandegárias são erguidas para proteger a economia nacional, que passa a ser ditada e controlada por um Estado tentacular e poderoso. A história mostra que este modelo não favorece a criação de riqueza e sim o inverso. Ao dar ao funcionário público um poder ilimitado sobre o empresário, gera um tráfico de influência que no final do caminho apresenta sua fatura na corrupção.

Neste modelo o Estado pratica preços, tarifas e impostos elevados, prestando sempre péssimos serviços, extorquindo da sociedade civil os recursos da nação, que em suas mãos não encontram caminhos para se multiplicarem.

O resultado do Estatismo e o desenvolvimento para dentro pode ser visto na Argentina de Perón, no Chile de Allende, no Peru de Alan García e na Cuba de Castro.

Argumenta que no mundo inteiro não se discute mais a democracia e a economia de mercado. Nos países desenvolvidos toda discussão entre esquerda e direita pode ser feita, mas dentro do liberalismo.

O Brasil é descrito em todas as letras na afirmação de Carlos Rangel: a reação espontânea de um chefe de governo, herdeiro da tradição mercantilista espanhola, será sempre a de intensificar controles, multiplicar restrições e aumentar impostos. Nenhuma frase resume melhor o atual governo brasileiro do que esta.

O cerne da questão é a idéia religiosa e medieval do que o lucro é o mal, que trata-se da apropriação indébita e expressão da cobiça.

Por fim faz uma interessante comparação entre o Chile e suas reformas liberais e Cuba com a implantação do socialismo. O resultado é definitivo: o Chile é o único país em que pobreza diminuiu de forma constante desde o início dos anos 80. Ainda existe pobreza no Chile, mas ela é herança do longo período de Estatismo que só foi interrompido com as reformas de Pinochet.

Esta oposição...

Já falei o que acho do salário mínimo. Não é coisa que deva ser tratada com irresponsabilidade. Mas o custo de tratá-lo com realismo deve ser sempre do governo, seja ele qual for. A oposição poderia ter criado briga e defendido o salário (inexequível) de R$ 420,00 antes de Lula fechar acordo com os sindicatos. Não o fez. Resolveu fazer agora. Perdeu a passada, como perdeu no aumento dos parlamentares. E ainda tem que escutar o pito do presidente, acusando-os de irresponsabilidade.
É realmente um professor em política.
E por isto estamos onde estamos.

Superman, O Filme

Título Original: Superman,1978
Direção: Richard Donner
Elenco: Christopher Reeve (Clark Kent / Superman),Marlon Brando (Jor-El),Gene Hackman (Lex Luthor), Margot Kidder (Lois Lane)

Embalado por Superman, o Retorno resolvi assistir o Superman original. Impressionante como fica cada vez melhor. No meio da confusão de efeitos especiais e cenas de ação de hoje aumenta o valor de um filme que equilibra ação, aventura, romance, comédia e suspense. É difícil falar do impacto deste filme para toda uma geração que como eu assistiu no cinema as aventuras do homem de aço em sua versão definitiva de Richard Donner.

Donner apresenta um Superman com uma semelhança com Cristo, principalmente pela mensagem deixada por Jor-el para seu filho Karl. Mas apenas tateou neste sentido, o que vale aqui é a busca do bem pelo personagem, que constitui inclusive sua maior vulnerabilidade.

Reeve foi tão perfeito no papel que nunca conseguiu se libertar dele, e impediu durante muito tempo que qualquer ator se aventurasse a viver o Superman nas telas. No filme lançado este ano os produtores escolheram um ator para interpretar Reeve, e não Superman.

Existe grandes cenas no filme, como a "estréia" do superman em Metrópolis salvando Louis da queda de um helicóptero, ou o vôo mais romântico da história do cinema. Um filme grandioso e muito bem realizado. Nota 9.



Como disse um dos grandes momentos do filme é o vôo de Superman e Louis. O vôo é embalado pelos pensamentos da repórter. Segue abaixo este pensamento:

Can you read my mind?
Do you know what is is that you do to me?
I don't know who you are
Just a friend from another star

Here I am like a kid out of school
Holding hands with a god

I'm a fool

Will you look at me Quivering
Like a little girl
Shivering
You can see right through me


Can you read my mind?
Can you picture the things I'm thinking of?

Wondering why you are
All the wonderful things you are

You can fly!
You belong in the sky!
You and I

Could belong to each other


If you need a friend
I'm the one to fly to
If you need to be loved
Here I am

Read my mind

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Top 5 - Super Heróis

Meus 5 super-heróis favoritos:

1. Homem Aranha
2. Arqueiro Verde
3. Batman
4. Hulk
5. Flash

Pequena Viagem - Parte II

Praia da Enseada

A primeira praia em Ubatuba que conhecemos foi a da Enseada, porque é onde se localiza a pousada que ficamos. Como praia não é estas coisas, principalmente por conta da areia escura e compacta. Para ter uma idéia era comum o trânsito de veículos por ela. Mas a água até que era agradável, sem ser gelada e bastante limpa.





Meu dia de praia ideal: sem sol, debaixo de um guarda sol, tomando cerveja, beliscando e lendo um jornal. Perfeito!



Mineirinho conhecendo as delícias do mar. Marzão sô!




Não é mar vovô, é onda!

Pequena Viagem - Parte I

Como disse antes, nossa pequena viagem começou pelo Rio de Janeiro, onde passamos dois dias. Enquanto assistia as defesas de dissertação do curso de Mestrado, meus queridos se divertiam. Abaixo seguem alguns flagrantes destes dois dias.



Já estive neste mesmo local na mesma idade, muitas e muitas vezes


No Rio-Sul, para variar


Meditando sobre a vida

Charge do Dia

Não Existe Almoço Grátis

O governo promoveu um aumento acima do que estava sendo discutido no plenário. Sua estratégia era mais uma vez colocar-se acima do congresso em termos éticos, o que favorece sua política baseada na figura do presidente. Lógico que dinheiro não sai do além, embora assim acredite a maioria de nossos socialistas. Pois o valor da fatura começa a aparecer.
Reportagem do Globo de hoje noticia que para arcar com o aumento dado, o pacotão de investimento será cortado de cara em R$ 4 bilhões. Para ter uma idéia representa um encolhimento de 42%.
Mais uma vez o populismo tira dinheiro do investimento, que tem o poder alavancar a economia e gerar riquezas. São com estas riquezas que são gerados empregos e conseque-se aumentos reais nos poderes aquisitivos. Lógico que sou a favor de aumento do salário mínimo, mas não por boa vontade dos governantes. Ele deve crescer com a economia e a educação, aumentanto o mercado e melhorando o nível da mão de obra respectivamente.
O que os nossos esquerdistas não admitem é que estas políticas populistas não levam a lugar nenhum, ou levam ao buraco __ como Perón fez na Argentina, transformando-a de uma país com nível europeu para mais um estado bananeiro.
A política de distribuição de renda e social que mais efeitos fez por aqui foi o Plano Real, que era econômico. Mas nunca vão dar o braço a torcer, embora do jeito que vai daqui a pouco o presidente vai nos convencer que foi criação dele.
E assim vamo prosseguindo na distribução de esmola e na distribuição de renda, só que da classe média para a baixa, aumentando cada vez mais os pobres no Brasil.

terça-feira, dezembro 26, 2006

James Brown (1933-2006)

Uol online:
"O cantor norte-americano James Brown, conhecido como "o pai do soul", morreu nesta segunda-feira (25), aos 73 anos, em um hospital de Atlanta, informou seu agente. Brown morreu à 1h45 (4h45 de Brasília) no Emory Crawford Long Hospital, no qual estava internado desde domingo (24) devido a uma pneumonia."

Esta é uma grande perda para a música. Brown foi acima de tudo um showman, dominava o palco como ninguém e levou o soul pelo mundo. De sua obra gosto particularmente de Please Please Please e I Feel Good. Como não sou fã particularmente do estilo não posso comentar mais do que isso. Apenas desejar uma boa passagem para este extraordinário cantor (sua voz era fantástica).

"When I hold you in my arms
I know that I can't do no wrong
and when I hold you in my arms
My love won't do you no harm."

I Feel Good

Para baixar: I Feel Good

Filme: Vem Dançar Comigo

(Strictly Ballroom, 1992)

Direção e roteiro: Baz Luhrmann
Elenco: Paul Mercurio (Scott Hastings),Tara Morice (Fran),Bill Hunter (Barry Fife) e
Pat Thomson (Shirley Hastings)

Estava em promoção nas Americanas e não resisiti em comprar e assistir de novo este filme australiano sobre um jovem que é treinado desde garoto para ganhar um campeonato de dança de salão. Nem sabia que o fime era do Luhrmann, o criador de Romeu + Julieta e Moulin Rouge. Confesso que tenho um fraco por este filme, é um daqueles que nunca enjoo de assistir. Sei que a trama é exagerada, o roteiro é simplista ao extremo, mas o que vale aqui é a diversão. E é no exagero das reações que está a graça do filme. A mão de Scott então é hilária, considera o concurso de dança como a missão da sua vida. É impossível assistir este filme e não ficar com vontade de dançar um pouco!

Quotes:

Barry Fife: There are no new steps!

Fran: A life lived in fear is a life half lived.

Liz: What do I want? I'll tell you what I want! I want Ken Railings to walk in here right now, and say 'Pam Shortt's broken both her legs, and I wanna dance with YOU!'
[the door flies open. It's Ken]
Ken: Pam Shortt's broken both her legs, and I wanna dance with you.
Kylie: That was unexpected.

Fran's Father: You dance the passadoble? Show me! Show me your passadoble!

De Volta

Fim da viagem. Sobre ela falo mais tarde. Agora estou na fase de colocar os e-mails em dia, atualizar as notícias (fiquei estes dias longe de qualquer noticiário), e é claro colocar aos poucos o blog de volta aos trilhos. Infelizmente ou felizmente não tenho todo o tempo que desejaria para cumprir estas tarefas, mas aos poucos chego lá.

sexta-feira, dezembro 22, 2006

Pensamento

Pessoas normais falam sobre coisas, pessoas inteligentes falam sobre idéias, pessoas mesquinhas falam sobre pessoas.

Platão

Em Viagem

Como disse antes estou partindo para Ubatuba hoje, após a defesa do Giuseppe. O Blog vai ficar meio devagar, quase parando se é que não vai parar. Dia 26 volto com o pé no acelerador!

Defesas

A defesa do Siquara foi tranquila, e como sempre ele se saiu muito bem. Agora é arrumar as malas e partir para Brasília.
O Macedo sofreu um pouco mais devido a presença de um alienígena na banca, mas também foi aprovado.
Mais dois mestres formados pelo IME!

quarta-feira, dezembro 20, 2006

Música: Gritos na Multidão


Música: Gritos Na Multidão
Album: Vivendo e Não Aprendendo
Banda: IRA!
Ano: 1986
Autor: Edgard Scandurra

Dicas - Fraude Virtual

Quando for acessar site de banco é bom tomar o seguinte procedimento:

1 - Minimize a página . Se o teclado virtual for minimizado
também, está correto. Se ele permanecer na tela sem minimizar, é pirata! Não
tecle nada.

2 - Sempre que entrar no site do banco, digite sua senha ERRADA na primeira vez . Se aparecer uma mensagem de erro significa que o site é realmente do banco, porque o sistema tem como checar a senha digitada. Mas se digitar a senha errada e não acusar erro é mau sinal. Sites piratas não tem como conferir a informação, o objetivo é apenas capturar a senha.

3 - Sempre que entrar no site do banco, verifique se no rodapé da página aparece o ícone de um cadeado, além disso clique 2 vezes sobre esse ícone; uma pequena janela com informações sobre a autenticidade do site deve aparecer. Em alguns sites piratas o cadeado pode até aparecer, mas será apenas uma imagem e ao clicar 2 vezes sobre ele, nada irá acontecer.

Os 3 pequenos procedimentos acima são simples, mas garantirão que você jamais seja vítima de fraude virtual.

Programação

Bem, hoje inicia-se uma temporada fora de Resende.
Incialmente vamos para o Rio, para que possa assistir as defesas do Siquara, Giuseppe e Macedo. Na sexta partimos para Ubatuba, onde passaremos o natal com meus pais. Não sei se será possível atualizar o blog, mesmo que seja não será prioridade. Até início de janeiro as atividades estarão reduzidas.
Coisas da vida, afinal a família vem sempre em primeiro lugar!

terça-feira, dezembro 19, 2006

Coleção do Jota

Visitinha nas Americanas rendeu mais 3 itens para a minha coleção de cds. Agora são 542.



Acid Eaters, The Ramones (1993)
Inteiramente composto por covers de bandas como The Who, Creedence, Animals, Stones e muitas outras. Um versão rápidas, no estilo Ramones de ser para clássicos do rock.


The Very Best of The Beach Boys (2001)
Coletânea com grandes sucessos dos Beach Boys.



1, The Beatles (2000)
Uma coletânea dos Beatles formada pelas músicas que foram nr 1 nas paradas. São só 27 números 1!

O STF entrou na jogada

Blog do Fernando Rodrigues:
O Supremo Tribunal Federal acaba de conceder, por unanimidade, uma liminar (decisão provisória) para que as Mesas da Câmara e do Senado se abstenham de editar aumento de subsídios de congressistas com base no decreto 444.

Na prática a decisão obriga que o aumento seja dado por decreto legislativo. Diz Rodrigues que em condições normais os próprios líderes podem aprovar um decreto, mas devido à exposição negativa já não há garantias que eles resolvam assumir este pepino. Não há como aprovar o decreto na surdina como foi feito na semana passada pelo simples fato dos holofotes estarem em cima dos atores principais.

Novamente a medida moralizadora teve origem nos deputados de sempre: Raul Jungman e Fernando Gabeira, agora em companhia de Carlos Sampaio (PSDB). No STF já se referem a eles como "aqueles deputados honestos", como noticiado hoje no Globo. Por casos como este é que me recuso a repetir a expressão que todo político é ladrão, o que só favorece a ladroagem.

O fato é que as lideranças bancaram este aumento de olho nos votos do baixo clero para a eleição da mesa ano que vém, daí a participação decisiva dos presidentes das duas casas. A re-eleição no congresso já deixa sua sujeira, à exemplo do que ocorre no executivo. A oposição fez papel lastimável e vergonhoso. Não consegue enxergar uma causa legítima nem colocada debaixo do seu nariz.

Ainda bem que existe o PT para fazer lambanças, perigava o presidente morrer de tédio.

O Caso Pimenta Neves

Muito boa a coluna de Míriam Leitão no Globo de hoje. Desta vez o tema não é econômico, mas a vergonha do desfecho do caso Pimenta Neves pela Justiça Brasileira.

Há quase 7 anos atrás Pimenta matou a namorada, Sandra Gomide, 30 anos mais nova de forma premeditada e por motivo torpe. É réu confesso e já foi julgado e condenado. O problema é que até hoje só ficou 6 meses na prisão pois foi dado a ele o direito de permanecer em liberdade até que seu recurso seja julgado.

Míriam desafia alguém a "explicar para um estrangeiro que não saiba nado de Brasil o que é o caso Pimenta Neves". É impossível. Não cabe em uma sociedade minimamente civilizada que se possa matar um moça da forma que foi feita, ser julgado, condenado e permanecer em liberdade.
A constituição está na raiz do problema, na sua defesa dos direitos individuais. Todo réu tem direito à liberdade até que seu caso tenha transitado em julgado. E quem tem dinheiro e bons advogados consegue com facilidade empurrar o caso até o STF, mesmo que não haja nenhum princípio constitucional em jogo.

O fato é que a sete anos uma família perdia a filha de modo cruel e o assassino está vivendo muito bem, com a vida refeita tendo que aguentar apenas o aborrecimento de tocar a causa adiante. Na última semana ele perdeu um recurso e o juiz mandou cumprir o mandato de prisão. Pimenta se tornou foragido. Apenas por poucos dias, pois a justiça garantiu novamente o direito de permanecer em liberdade.

Só mesmo no Brasil um juiz toma uma decisão destas para um fugitivo da justiça. Se todos os presos pudessem tomar um caminho parecido teríamos resolvido pelo menos um dos nossos problemas: a superlotação das cadeias.

Fico pensando se Pimenta Neves matar de novo. Será que nossos juristas que o mantém em liberdade sentiram um mínimo de remorso?

segunda-feira, dezembro 18, 2006

Teoria do até o 5º

Como disse no post anterior, os melhores lançamentos de uma banda se localizam entre os 3º e 6º albuns. Uma banda que foge totalmente a esta regra é o Pink Floyd, que gravou seu Dark Side of The Moon como 8º. Esta é uma obra-prima legítima.
Algumas outras bandas também conseguiram lançar discos fantásticos depois do 6º album, mais em geral depois de mudanças significativas em sua estrutura como os casos do Deep Purple (Burn, 8º) e Black Sabbath (Heaven and Hell, 9º) .
É mais comum que a banda consiga uma obra-prima nos primeiros discos (Led Zeppelin, qualquer dos dois primeiros) do que depois de um tempo. Faça um teste, pegue sua banda favorita e veja em que ordem foi lançado seu disco favorito.

Resenha: A Matter Of Life And Death

Ano de Lançamento: 2006

Tenho uma teoria sobre o rock. Os grandes álbuns da banda encontram-se nos primeiros anos após o lançamento de seu primeiro. Normalmente entre o 3º e 6º discos. A partir daí, é raro uma banda lançar um daqueles discos mágicos, que são citados na ponta da língua como obra-prima. É claro que existe um ou outro caso que foge a esta regra, mas normalmente é o que acontece.

A banda não morre após o 5º ou 6º álbum. Ainda consegue lançar bons trabalhos, eventualmente até um excelente trabalho, mas é raro.

Por isso não espero mais um daqueles álbuns inesquecíveis do Iron Maiden, ainda mais que já está no 14º lançamento. Mas confesso que já estava meio amuado por uma seqüência de bons álbuns, um tanto irregulares, com músicas muito boas e outras preenchendo os espaços.

Pois A Matter of Life And Death é um destes excelentes álbuns que de vem em quando as bandas veteranas nos brindam. É um disco que não fica nada a dever aos já distantes Seventh Son e Somewere In Time, os últimos grandes álbuns da banda na verdadeira acepção da palavra.

Não é perfeito. Houve um exagero de introduções lentas, que funcionam em algumas músicas, mas repetidas vezes já dá uma sensação de já escutei isto antes. Os refrões por vezes se repetem demais pela teimosia de Steve Harris em esticar as músicas (é o disco mais longo do Iron). Mas no geral o resultado superou minhas expectativas.

Inicialmente pelo excelente trabalho de Bruce nos vocais. Fazia tempo que não nos brindava com uma performance tão inspirada. As três guitarras finalmente acertaram no entrosamento e nos brindam com solos muito bons. Mas é na força das composições que está o maior acerto da banda.

As músicas funcionam muito bem, desde a temática __ o álbum é focado nas guerras e intolerâncias religiosas __ até a construção instrumental. Gostei particularmente de Different World (simples mas com um refrão que lembra o saudoso Thin Lizzy), These Colours Don’t Run, Out of The Shadows e The Legacy que fecha o álbum com chave de outro, com um curioso toque progressivo.

As outras canções não ficam muito atrás, o que dá uma boa consistência ao trabalho e passa a vontade de escuta-lo inteiro, o que não aconteceu nos trabalhos anteriores.

Steve Harris declarou recentemente que sua idéia sempre foi lançar 15 álbuns em estúdio. Como este é o 14º ficamos próximos do possível fim da banda. Enquanto este fim não chega vamos curtindo seus lançamentos, que se não são sempre no nível deste último trabalho sempre apresenta um certo padrão Iron de qualidade.

Charge


Ronaldo, Jornal do Comércio

Vestibular por Sorteio

Sibá Machado, senador pelo PT do Acre, é um destes casos de nossa aberração eleitoral. Eleito como suplente de Marina Silva, não ficou nesta situação nem um único dia. Como Marina virou ministra de primeira hora da monarquia petista ganhou o mandato de bandeja. E se destacou nas CPIs, junto com a colega catarinense Ideli Salvatti, pela defesa ferrenha dos petistas flagrados com a mão na bufunfa.

Tudo indica que Marina sai do ministério na reforma que o presidente diz querer fazer. Sibá volta para onde nunca deveria ter saído, a suplência. Sua despedida é um projeto de lei que substitui o vestibular pelo sorteio de vagas.

Seu argumento é que trata-se de um critério mais justo e que acaba com a indústria dos cursinho. Diz que terá o apoio da classe média, que ficará livre de gastar com estes cursinhos.
Só na cabeça deste meu conterrâneo mesmo. Vê se eu vou querer que meus filhos, depois de anos de estudo, dependam de um sorteio para entrar numa faculdade. Existe uma coisa que os socialistas tem horror: a meritocracia.

Pois é esta meritocracia um dos fatores que levam uma nação para frente. Eu sei que as classes A, B e C são privilegiadas por poder pagar um estudo e cursinhos melhores para se preparar. Engraçado. Defendem que o Estado deve ser um imenso provedor de bens, por que o senador não propõe que se retire investimentos das universidades e utilize na educação de base? Que adianta investir na ponta de saída do sistema educacional quendo a base está falida?

Acho que universidade pública não precisaria ser necessariamente gratuida. Deveria ser gratuita para quem não pode pagar, e não para todos. Mais um custo que sobra para a classe média, um vilão dos socialistas, mas que sustenta a conta de suas demagogias.

domingo, dezembro 17, 2006

Filmes

21 Gramas (21 Grams, 2003)
Dirigido por Alejandro González Iñárritu. Com: Sean Penn, Naomi Watts, Benicio Del Toro, Charlotte Gainsbourg, Melissa Leo, Clea DuVall, Danny Huston e Eddie Marsan.

O filme conta a história de três personagens envolvidos por um trágico acidente. Os três buscam vencer o passado e encontrar algum sentido em suas vidas. O legal é que a narrativa do filme não segue a estrutura cronológica, colocando fragmentos hora do passado, ora do futuro. Muitas vezes nos deparamos com o personagem já sabendo o que o aguarda, o que trás uma certa idéia de impotência diante dos fatos da vida. Destaque para a atuação de Del Toro como ex-presidiário que tornou-se cristão e tem sua fé colocada à prova de forma brutal. Nota 8,5.

Separados pelo Casamento (The Break-Up, 2006) Direção: Peyton Reed Roteiro: Jeremy Garelick e Jay Lavender Elenco: Vince Vaughn, Jennifer Aniston, Joey Lauren Adams, Jon Favreau, Cole Hauser, Jason Bateman, Judy Davis, Justin Long, Vincent D'Onofrio, Ivan Sergei, John Michael Higgins, Ann-Margret, Peter Billingsley

Uma comédia romântica fora do convencional. A parte do viveram felizes para sempre acaba nos créditos iniciais, e o filme mostra a desconstrução de um relacionamento de dois anos. O título em português é daqueles horrorosos, e junto com o poster do filme fazem uma propaganda enganosa simplesmente ridícula. Quem esperava mais uma comédia com pontas de besteirol perdeu a viagem. Vale também pelas participações de uma série de coadjuvantes legais como Ann-Margret, Davis, Adams e todos os outros. Nota 7,5.

Aniversário Lorena

Hoje o blog ficou meio de lado por causa do aniversário de 3 anos da Lorena. A festa foi no salão do prédio e recebemos família e colegas da minha pequena. Tudo deu certo apesar do incoveniente de uma pane em todos os elevadores na hora do evento. Ainda bem que a festinha foi num dos primeiros andares do edifício, o duro mesmo foi subir com os presentes até o 12º andar quando terminou. Faz parte!

O tema foi branca de neve. Pena que em Resende não encontramos a roupa!


Amor do papai...


É ou não é uma princesa?

O mundo é colorado

O Barcelona perdeu a passada no segundo tempo. O Inter apertou a marcação e impediu o jogo do time catalão, que pouco produziu na etapa complementar. Em contra-ataque com passe preciso de Iarley para Adriano o colorado fez o gol que precisava. Controlou o final da partida e ficou com o título, quebrando o favoritismo do Barça. Não foi desta vez que o time espanhol voltou do Japão com o caneco, parou na determinação e obstinação da equipe gaúcha que jogou a partida da sua história. Agora os campeões brasileiros são: Santos, Flamengo, Grêmio, São Paulo e Internacional.
O Inter mostrou que não precisa abandonar o brasileiro para ser campeão, que o ideal é chegar em rítmo de competição e com o time que tem, dando uma lição em Palmeiras, Cruzeiro, Vasco e o próprio Grêmio.
O resto é história.

Primeiro Tempo

O Barcelona foi melhor, até porque não sente a partida como era de se esperar. Já pelo lado colorado alguns jogadores estão visivelmente nervosos, errando passes demais. O jogo está aberto. A equipe catalã deixa espaços pelos lados do campo pois seus laterais avançam para apoiar o ataque. Cabe ao Internacional parar de perder a bola e acertar o contra-ataque.

sábado, dezembro 16, 2006

Sobre Ditaduras

Antes que fique um mal-entendido vou ser bem claro: sou totalmente contra ditadura, seja com que cor se manifeste. Defendo sempre a liberdade do indivíduo e o fortalecimento das instituições do país, que são sempre os primeiros a serem violentados no Estado-policial.
O progresso chileno poderia ter sido conseguido tranquilamente sem uma ditadura. Infelizmente não foi assim. Claro que o regime de Pinochet, com suas reformas liberais, tem influência no crescimento chileno de hoje. Mas não precisaria de um Pinochet para isso. Basta que se pare de maltratar as instituições.

Um dos motivos para o Brasil ser o que é hoje é a fragilidade das instituições. O justiça eleitoral teve que fazer marabalismo para aprovar as contas de Lula pois a opção seria ainda pior. Rejeitá-las e não ter força para cumprir a lei, pois o presidente eleito pelo voto é mais importante no país do que as instituições.

O congresso nacional, como instituição, encontra-se indefeso diante da ganância e falta de caráter de grande parte dos parlamentares. É constantemente atropelado pela presidência da república com suas medidas provisórias.

A justiça com sua lentidão ainda não foi capaz de colocar atrás das grades um criminoso confesso e já condenado como Pimenta Neves, que recebe um tratamento do STF que não é dispensado a um criminoso comum.

O Brasil já teve uma época de instituições fortes, mais até do que os Estados Unidos. Mas foi a muito tempo, na época do Império. Tenho dúvidas __ no mínimo __ cada vez maiores sobre nos "proclamação da república", que trocou o regime mais liberal das américas pelo caudilhismo dos coronéis.

A ditadura não salvou a Argentina, aliás a levou ao desastre das Malvinas. Não resolveu os problemas do Brasil, apesar do evidente mérito de ter impedido a guinada comunista de Jango com um número surpreendente pequeno de mortes. E muito menos Cuba, que levou o país do 4º lugar nas américas para o 29º.

O Chile pagou um preço altíssimo para tomar o caminho certo. Existem duas maneiras de tomar este caminho. Democraticamente, dentro do regime constitucional vigente, como fez a Inglaterra __ e como tinha esperança que o Brasil fizesse, ou rompendo com as regras democráticas, com enormes custos, como fez o Chile.

Palavras são desnecessárias

Charge

Aroeira, O Dia(RJ)

sexta-feira, dezembro 15, 2006

No Bar

Minha companheira de drink antes do almoço. Eu tomando cachaça Sagarana e Lorena tomando guaraná das super-poderosas. Como aperitivo: feijão!

Na Cozinha

Ontém experimentei um novo prato de um livro de culinária japonesa. Chama-se carne em postas, e constitui-se em pedaços grelhados de carne com molho à base de catchup servido com arroz japonês. Ficou muito bom. O resultado pode ser visto abaixo.

Lego Novo Testamento


Não me perguntem como mas enquanto estava procurando uma foto da banda Nazareth para o post abaixo achei um link interessante, que recria as histórias da Bíblia com... lego! Segue o link na própria foto.

Música: Razamanaz

A banda escocesa Nazareth ficou mais conhecida no Brasil pela balada Love Hurts. As gravadoras pegaram caronas e por muito tempo apenas uma coletânea de baladas era econtrada em solo tupiniquim, o que passou a imagem que a banda era uma espécie de banda romântica.
Nada mais errado. Já postei aqui uma resenha sobre o maravilhoso disco Hair of The Dog, e agora trago a música Razamanaz, um rock vigoroso do início ao fim.

Links:
Resenha: Hair of The Dog
Música: Razamanaz

Filme: A Babá Encantada

Título Original: Nanny McPhee
Ano de Lançamento (EUA / Inglaterra / França): 2005
Direção: Kirk Jones
Elenco: Emma Thompson (Babá McPhee), Colin Firth (Cedric Brown), Kelly Macdonald (Evangeline), Celia Imrie (Selma Quickly)

Um filme leve e divertido que conta a história de um viúvo que tem que criar 7 filhos ressentidos com a pouca atenção que recebem do pai. Uma espécie de mistura de A Noviça Rebelde com Mary Poppins, baseada em uma série de livros infantis ingleses, Nurse Matilda. Com roteiro de Emma Thompson, que também interpreta a babá do título, que possui um cajado mágico que a ajuda a educar as crianças. À medida que se comportam, a babá vai curando sua feiura e se tornando menos necessária. Muito bom para ver com a família. Nota 7,5.

Diálogos:

Nanny McPhee: There is something you should understand about the way I work. When you need me but do not want me, then I must stay. When you want me but no longer need me, then I have to go. It's rather sad, really, but there it is.
[Nanny McPhee turns around to walk out of the room, but stops once she hears Simon]
Simon Brown: We will never want you!
Nanny McPhee: Then I will never go.

Mr. Brown: [monologue] I was confident that there was nothing they could do to upset her.
Nanny Whetstone: [charges into the mortuary screaming] THEY'VE EATEN THE BABY!
Mr. Brown: [monologue] Except that.

Lily: Evangeline, do you love Papa?
Evangeline: Of course not! I know my place. That wouldn't be right. I mean... yes.
Lily: Papa, do you love Evangeline?
Mr. Brown: What are you saying? That- that would be totally improper. I mean a thing like that could- could never happen. I mean, obviously... yes.

Simplesmente Indecoroso

Em uma decisão tomada por apenas 29 parlamentares em mais uma de suas manobras vergonhosas foi aprovado o aumento de 91% nos salários de deputados e senadores. Para ter uma idéia o aumento proposto para o mínimo é de 1%. E a oposição colaborou enormemente apoiando o aumento, que tem por finalidade contentar o baixo clero da casa com vistas à eleição das mesas diretoras do ano que vém, tanto que os maiores interessados eram Aldo Rebelo e Renan Calheiros.
O Congresso como instituição se destrói aos poucos, para alegria de Lula que se livra do incômodo de ser fiscalizado pelo parlamento. É o fecho de ouro para a pior legislatura que o Brasil já teve.
E sabe do pior?
Os entendidos dizem que a que vem por aí será ainda pior.
Meu Deus!

Charge

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Pensamento

"No Brasil as coisas não acabam. Definham."

Roberto Pompeu de Toledo

Ufanismo

Do Houaiss:
■ substantivo masculino
Regionalismo: Brasil.
1 atitude de quem se orgulha de alguma coisa com exagero
1.1 Derivação: freqüentemente.
orgulho exacerbado pelo país em que nasceu; patriotismo excessivo

Por que trato deste assunto? Porque uma das coisas que mais me irritam é o ufanismo. Dois exemplos, uma de algum tempo e um recente.

O primeiro foi o episódio da série Os Simpsons que se passava no Brasil. Nele o Rio de Janeiro era visto como uma selva tropical, com presença inclusive de macacos. Foi uma festa. Intelectuais de norte a sul investiram em cima da série americana, e o governo brasileiro ainda deu o mal exemplo de se meter no embrólio e fazer queixa diplomática. Um verdadeiro absurdo, que só mostra nosso ufanismo. Não tem problema nenhum programas como Casseta e Planeta descer a lenha em nossos pecados e regionalismos, basta lembrar da piada dos quatro gaúchos e uma banco. Mas se vem de fora não, aí é o nosso país! O mesmo Casseta e Planeta (para ficar no mais popular) não esgota seu repertório ridicularizando o americano para o delírio dos bananeiros. Claro que o Rio de Janeiro não é uma Selva (pelo menos não tropical) mas será que perdemos o senso de reconhecer uma piada quando vemos?

Mais recente é o filme Turistas, que ainda vai estreiar no Brasil mas já começa a provocar polêmica. Parece que trata de turistas que são dopados no Brasil e tem os órgão retirados por um psicopata. Nada que nunca tenha acontecido por aqui não? O filme não trata esta questão como corriqueira no país, mas como o delírio de um louco, que poderia acontecer em qualquer parte do mundo. Já tem gente dizendo que prejudica o turismo. Balela. O que prejudica o turismo é o assalto constante que são vítimas aqui no Rio, com direito inclusive à emboscada em pleno aterro do Flamengo. Ah, a polícia se propôs a fazer escolta dos ônibus, principalmente os que trazem os turistas de madrugada do aeroporto até a zona sul. As empresas de turismo protestaram. Pegava mal.

E assim vamos vivendo.
Ainda não consegui postar com título pelo google.

Teste

Testando mensagem através do google doc & spreadsheets.

Novo visual

Beleza! Foi dado um novo trato ao blog. Realmente a versão beta traz uma nova funcionalidade. Falta apenas um corretor de textos. Paciência. Um dia quem sabe.

Interessante

Hum... o post so superman returns foi colocado no label filmes. Abaixo do post aparece um atalho para todos os posts de filmes. Legal. Falta só colocar este atalho no sidebar. Vamos à obra.

Nova versão do Blogger

Acabei de migrar para a versão beta do Blogger. Vamos ver como ficarão as coisas, novas facilidades foram prometidas. Estou mais interessado na parte de labels para os posts, possibilitando organizá-los por assunto. veremos.

Superman Returns

Título Original: Superman Returns, 2006

Direção: Bryan Singer
Elenco:
Brandon Routh (Clark Kent / Superman)
Kevin Spacey (Lex Luthor)
Kate Bosworth (Lois Lane)
James Marsden (Richard White)
Frank Langella (Perry White)
Sam Huntington (Jimmy Olsen)
Eva Marie Saint (Martha Kent)
Parker Posey (Kitty Koslowski)

Um bom filme, que tem como principal mérito despertar o desejo de rever o Superman de 1978. A preocupação do diretor de dar continuidade aos dois filmes clássicos (esquecer as bombas 3 e 4) é nítida. Routh interpretou na verdade Reeve interpretando Superman, no que se saiu razoavelmente. Outro ponto positivo é que o filme não se concentrou em demasia nas cenas de ação, mas pecou ao não aproveitar uma série de potencialidades do roteiro, especialmente o personagem Jason. Kate não convence como Lois Lane, mas Spacey esteve excelente como Luthor, também parodiando Hackman. Enfim, um bom filme que poderia ter sido excelente se algumas situações fossem melhor exploradas.

Show do Barcelona

O Barcelona deu um verdadeiro chocolate no América do México hoje no Japão. Foi inapelável, 4 x 0 com show de Ronaldinho e cia. O que mais me impressionou foi a velocidade das trocas de passes no ataque. Quando você acha que o time está fazendo o tempo passar com passes na intermediária, de uma hora para outra inicia-se uma correria que acaba na frente do gol adversário. Já não é mais uma equipe com jogadores fora de série, é uma equipe fora de série.
A parada ficou duríssima para o Internacional, e Abel tem motivos de sobra para ficar preocupado. Se jogar o que jogou ontém pode esquecer o título. Para vencer esse time do Barça tem que jogar tudo que sabe e ainda torcer para o Barcelona não fazer o mesmo.

quarta-feira, dezembro 13, 2006

PSDB: Tasso, pede para sair! E rápido!

Só existe uma coisa no Brasil que esteja à altura do PT no governo.
É o PSDB na oposição.
Simplesmente uma vergonha. Enquanto os petistas preparavam suas estratégias mirabolantes para resolver o problema da CPMF que se estava em rota de extinção por força de lei, o que faz o PSDB?
Propões uma lei tornando-a permanente. Quem foi o autor da lei? Simplesmente o presidente do PSDB. Só na Banânia mesmo que um partido de oposição encabeça uma lei anti-popular para beneficiar o ... governo!
E pior! Na entrevista no programa Roda-Viva o mesmo Tasso Jereissati disse com todas as letras que se Ciro Gomes deixar Lula o apoiará em 2010, mesmo contra o próprio partido por entender que acima de tudo está o interesse do ... Ceará!
Dá para entender?
Se tivesse um pingo de vergonha na cara o PSDB reagiria pedindo o afastamento imediato de seu presidente, pois como pode um partido político aceitar seu líder defendendo uma coisa dessas?
É por essas e outras que vamos ter que aguentar mais 4 anos do Ali Babá e seus quarenta ladrões.

ps: os quarenta ladrões foi só figura de linguagem. Na verdade é muito mais.

Amigo Oculto 2006

No dia 8 de dezembro foi realizado nosso amigo oculto na PG. O evento foi realizado junto com os professores e funcionários tanto dos transportes quanto da graduação em FC também. Foi bastante animado e com as já tradicionais bricandeiras __ e acusações de marmelada!

Valeu Renato!

Animados, hein?

Este é o meu amigo oculto, Siquara.

Esta dupla...


O discurso do chefe não pode faltar