quarta-feira, maio 31, 2006

Frase de Filme




Noise, noise, noise...smokin' weed, smokin' weed, doin' coke, drinkin' beer. My good man its time to kick back, drink some beer and smoke some weed.

Jay in Kevin Smith´s Clerks

Corrida Maluca

















Carro número 01, temos os irmãos Rocha em seu Carro de Pedra. Os dois gêmeos do capitão caverna dirigiam um carro feito de pedra e madeira, e viviam se batendo com uma clava. Seus nomes em inglês eram Rock e Gravel.

O carro de número 02 era o Cupê Mal-Assombrado, pilotado elos Irmãos Assombrados. Nos momentos mais complicados, eles podiam apelar para um dragão que vivia no topo da casa, que emprestava a eles seu bafo de fogo ou suas asas para var.

O competidor de número 03 era o Professor Aéreo e seu carro cheio de truques. A geringonça do professor possuía mais botões do que o carro do Speed Racer e podia fazer quase de tudo: desde voar, navegar, transformar-se em um submarino ou até mesmo em um tanque de guerra.

O número 04 era o famoso Barão Vermelho, com um avião com rodas que era capaz de voar curtas distâncias.

O carro 05 era o queridinho Pussycat, pilotado pela gatíssima Penélope Charmosa. Aliás, Penélope e a Quadrilha de Morte fizeram tanto sucesso entre a garotada que geraram um desenho só para eles, chamado “Os Apuros de Penélope”.

O carro número 06 não era exatamente um carro, mas sim um tanque do exército adaptado, pilotado pelo cabo Meekly e comandado pelo Sargento Bombada.

Em seguida, o carro número 07 à prova de balas da Quadrilha da Morte, formada pelos gangsteres Clyde, Ding-Ling, Zippy, Pockets, Snoozy, Softy e Yak-Yak.

O carro de número 08 era a Carroça a Vapor do Tio Tomás, com seu fiel co-piloto, o urso Chorão. Esse era um dos carros mais divertidos na minha opinião. O urso chorão apareceu mais tarde em dois episódios especiais da Hanna Barbera em 1969.

O carro 09 era o carro turbinado de Peter Perfeito, uma espécie de “par romântico não declarado” da Penélope Charmosa. Era para ser o mocinho da série, mas faltava-lhe o charme e o carisma dos outros personagens.
O carro de número 10 pertencia a Rufus, o lenhador, acompanhado de seu castor de estimação Dentinho.

E, finalmente, o carro de número 00, a Máquina do Mal, pertencente ao famigerado Dick Vigarista (um dos vilões mais engraçados e carismáticos de toda Hanna Barbera, e que apareceria ainda em diversos outros desenhos, sempre na companhia de seu inseparável cachorro Mutley).

Corrida maluca
Quem ganhou mais corridas no desenho Corrida Maluca?
Acompanhe a tabela de vencedores das 34 provas da Corrida Maluca:

A Quadrilha da Morte

4

Caipira Luke e seu urso

4

Penélope Charmosa

4

Peter Perfeito

4

Barão Vermelho

3

Irmãos Rocha

3

O cupê mal-assombrado

3

Professor Aéreo

3

Rufus Lenhador

3

Soldado Meekly e Sargento Bombarda

3

Dick Vigarista e Muttley

0



Adivinha quem é


Para meus colegas de mestrado. Adivinha que professor é este?

Marcela


Minha amiga Marcela começou a fazer aula de boxe. Deus nos acuda!

terça-feira, maio 30, 2006

Frase do dia

And in the end, the love you take is equal to the love you make.

The Beatles, The End

Aula de Java II

Situação ao término da aula de hoje:



Aula de Java

Estou indo agora para mais uma aula de Java. Até o fim da semana que vém estarei falando javanês!

Amistoso do Brasil


O Brasil fez hoje seu primeiro amistoso da fase de preparação para a copa 2006 (o outro é domingo contra a Nova Zelândia). Estava mais para treino do que propriamente para amistoso já que o adversário era para lá de fraquinho. Venceu por 8 x 0 com destaque para Kaká. O melhor foi acompanhar o Japão empatar com a Alemanha. Abre o olho Brasil!

Agatha Christie

Em 1983 eu tinha 10 anos de idade e era um devorador de livros da coleção vaga-lume. Os meus favoritos eram os de mistérios como O Cadáver Ouve Rádio, O Mistério do Cinco Estrelas, Sparion e O Caso da Borboleta Atília.
Foi então que fui apresentado a Agatha Christie, que se tornou minha primeira paixão literária. Desde o primeiro livro que li, Testemunha da Acusação, não consegui parar mais. Costumava anotar em um caderninho todos que tinha lido mas perdi este registro. Seguramente li mais de 60.
Dentre seus personagens impagáveis, que inclui uma simpática velhinha fofoqueira que soluciona crimes, o meu favorito sempre foi Hercule Poirot.
Que figura!
Foi uma antítese ao persongagem Sherlock Holmes de Arthur Conan Doyle. Poirot era baixo, gordo, já em de certa idade e resolvia seus mistérios utilizando principalmente o interrogatório aos suspeitos. Claro que existiam pistas, mas ele não saia como Holmes utilizando uma lupa e vasculhando cada milimetro de uma cena de crime!
Nunca li um autor que conseguise engenhar crimes tão pitorescos quanto Agatha fazia. Praticamente não havia limites para sua imaginação!
O bom de seus livros é o retrato psicológico que fazia dos personagens, você aos poucos sentia suas angústias, e suas personalidades. Ao redor dos crimes haviam excelentes dramas humanos de traição, angústia, romance, ódio, amor e poder.
Para quem nunca leu recomendo:

  • O Caso dos Dez Negrinhos - 10 pessoas são reunidas em uma ilha deserta onde uma gravação os acusa de 10 crimes ocorridos no passado em que a justiça não conseguiu condená-los. Não há como sair da ilha e um a um passam a ser assassinados. E não há mais ninguém na ilha...
  • O Assassinato de Roger Ackroyd - Um caso de Hercule Poirot que é impossível adivinhar a identidade do assassino. Nem perca tempo tentando solucionar o caso, apenas curta uma estória onde Agatha foi original ao extremo!
  • O Assassinato no Campo de Golfe - Outro do Poirot em que enfrenta uma espécie de sócia do Sherlock Holmes para descobrir primeiro quem assassinou um mulionário. Seu amigo Hastings (uma espécie deDr Watson) está impagável neste livro.
  • Assassinato no Expresso do Oriente - Já batido no cinema mas um dos melhores.
  • Inimigo Secreto (também publicado como Jovens Aventureiros Ltda) - Agatha nos apresenta Tommy Beresford e Tupence, uma dupla de jovens envolvidos em uma aventura de espionagem que não dá nem tempo para respirar!
Divirtam-se!

Minha Turma de Mestrado

segunda-feira, maio 29, 2006

Pérola do Galvão Bueno

Este é um dos maiores malas que existem circulando solto neste país. Mas tenho que confeçar, rende excelentes piadas! Só para exemplificar uma pérola do narrador "oficial" da nossa estatal da área de telecomunicações (Rede Globo) narrando um treino de F1:

"Após a sessao da tarde mais um capitulo inedito de Vale apena ver de novo"

Frase do dia

"Todos nós estamos na lama, mas alguns sabem ver as estrelas."


Oscar Wilde

Link de rádio


Uma rádio muito legal é a 9412, que pode ser acessada pelo link http://www.9412.com
No momento, por exemplo, está tocando uma coletãnea de southern rock, com pérolas de bandas como Allman Brothers, Lynyrd Skynyrd e outras. Vejam a lista das últimas músicas:

On the air:

Lynyrd Skynyrd
Gimme Three Steps



Last seven songs:
Blackfoot - Gimme, Gimme, Gimme (4:06)

The Band - Up On Cripple Creek (4:31)

Little Feat - Dixie Chicken (3:55)

The Allman Brothers Band - One Way Out (4:57)

The Charlie Daniels Band - In America (3:18)

The Southern Rock Experience w - The Countess on 9412 The Rock Station (0:27)

Frase de inspiração

Gastei todo meu dinheiro com mulheres e com cerveja. O resto eu desperdicei.

Anônimo
(Mas profundo!)

Chopp!












Hoje tem choppada da minha turma de mestrado em Engenharia de Transporte do Instituto Militar de Engenharia (IME)! Rip Rip Rip...

Frase do dia

"As pessoas nos acusam de termos feito o mesmo disco uma dúzia de vezes, mas isso é uma grande mentira. Nós fizemos o mesmo disco 14 vezes."

Angus Young - AC/DC

domingo, maio 28, 2006

Melhor Quadrinhos


Watchmen tem que ser comentado com calma. Hoje não dá. Em breve...

Top 5 - Discos Internacionais

1. Tommy - The Who, 1969













2. Machine Head, Deep Purple, 1972



3. Rubber Soul - The Beatles, 1965



4. The Number of the Beast - Iron Maiden, 1982



5. The Magician's Birthday _ Uriah Heep, 1972




Esta seria minha lista hoje, uma vez que no momento que publicá-la no Blog já a terei alterado em minha mente! Santa indecisão Batman!

O Código Da Vinci


Este foi o último livro que li.
É um livro interessante, não tanto pela estória em si, mas principalmente por nos chamar à reflexão.
Não vou aqui dizer que acredito no que está no livro, sobre o Graal, Maria Madalena, decendência de Jesus e tudo mais. Acho que quem de cara aceita isto como verdade está tão cego quanto quem refuta de imediato por contrariar o que é prega a Igreja Católica.
O que digo é que muita coisa no livro é possível de ter acontecido. Algumas coisas são prováveis e outras são improváveis. O que não aceito é acreditar em uma coisa porque a igreja afirma em seus dogmas. Vale lembrar que por muito tempo a Igreja Católica defendeu que a Terra era o centro do universo e chamou de herege quem disse ao contrário. A Igreja como instituição é dirigida por homens, quem nesta condição está sujeito a falhas.
Aos pouquinhos vou lendo uma coisa ali, outra acolá, tentando ganhar embasamento para concluir sobre alguns pontos. Por enquanto a única coisa que sei é: Da Vinci era um cara muito esquisito, e que pintou uma mulher ao lado de Jesus na Santa Ceia, pintou.
Como uma pintura não é uma foto (e mesmo esta pode ser mudada com um bom programa de computador), se realmente ela estava lá, não sei dizer, e talvez ninguém de fato saiba...

Hair of the Dog - Nazareth


Um dos meus principais interesses é rock'n'roll, principalmente o chamado "rock clássico". Aqui vai um resenha de um disco que gosto muito.

Este quarteto escocês formado por Dan McCafferty nos vocais, Manny Charlton na guitarra, Pete Agnew no baixo e Darrell Sweet no início dos anos 70 é muito lembrado no Brasil por seu cover do Everly Brothers “Love Hurts”. A banda acabou meio que rotulada por seu maior hit e muita gente tem dificuldade de acreditar que o Nazareth foi uma banda de Hard Rock. Para esses aqui está o melhor argumento: Hair of The Dog.

Sexto álbum em estúdio da banda, gravado em 1975, no (definição de Manny Charlton) mais barato e sujo estúdio perto de lugar nenhum. Esse foi o primeiro trabalho de Charlton como produtor e o resultado superou todas as expectativas.

A faixa título é um senhor cartão de apresentação. Um rock com riff genial de Manny e McCafferty dando tudo de si com sua voz rouca. Aliás a banda toda esteve genial nesse disco. Darrell Sweet esteve inspiradíssimo na bateria, dando uma aula de como ser criativo e contido ao mesmo tempo, pontuando muito bem o som da banda, como pode ser visto na visceral Miss Misery.

Guilty é uma baladão, regravação de Randy Newman, única do disco. Changin’ Times é mais um rock direto baseado num riff hipnótico de Manny Charlton.

Um pouco de influência do progressivo pode ser sentida em Beggar’s Day/Rose In The Heather que começa em um rock bem cadenciado e termina com uma guitarra pink floydiana, se é que existe este termo no dicionário!

Após flertar com o Blues em Whiskey Drinki’ Woman o album encerra com Please Don’t Judas Me, a música mais interessante do disco. Alterna riffs de Heavy Metal com uma guitarra acústica sublime de Manny Charlton e a banda toda se solta num rock bem experimental.

A versão americana do álbum substituiu Guilty por Love Hurts, que inicialmente seria lançada como lado B de um single. Jerry Moss, presidente da A&M records for USA e Canadá tinha uma opinião diferente e o resto foi história.

Hair of The Dog foi o grande sucesso da banda e abriu as portas do mercado americano e é um dos grandes momentos do Hard Rock nos anos 70. Vale cada acorde tocado!

Fla X Flu


No primeiro dia do meu Blog o Mengão não foi bem. Perdeu para o Fluminense de 1 x 0 num jogo que merecia sorte melhor. Fazer o que se o Leo Medeiros conseguiu a proeza de tropeçar no Tuta no lance do gol, aliás um gol de rosto.
O prezado árbitro também deu uma mãozinha ao anular o gol do Renato e pior, ao expulsar o Tuta!! Por incrível que pareça o Flamengo não fez mais nada depois da saída do atacante tricolor...
Dominou o jogo mas não tem poder de decisão.
Por fim: nem relacionar o Peralta num time que tem Diego Silva de titular e Obina de reserva, só o Valdemar mesmo...
Mais um ano lutando contra o rebaixamento!

Este sou eu

Abertura

Aos 28 dias do mês de maio de 2006, faço a abertura solene do Cantinho do Jota, e tenho dito!