domingo, outubro 29, 2006

Dia de Luto

Com certeza este é o post mais triste da curta história deste blog.

O povo brasileiro re-elegeu hoje o presidente mais corrupto de sua história. Esta é a grande verdade que as urnas revelaram. O resto é perfumaria, e de péssimo odor.

Lula recebeu hoje um cheque em branco. O eleitor deixou claro sua posição. Não considera corrupção um tema relevante, e nem de moral. Desde que o postulante ao cargo defenda os mitos esquerdistas que impedem a América Latina de crescer como a estatização, está tudo bem. Pode roubar a vontade, só não pode privatizar.

O Brasil perdeu hoje. Perdeu no combate à corrupção e na utilização do Estado para fins partidários. A coligação de Lula, notadamente PT-PMDB, vai ampliar agora a ocupação da máquina pública e a pouca independência de nossas instituições será ainda mais diminuída. Um grande exemplo será a Polícia Federal. Aqueles policiais sérios, que procuraram fazer seu papel, serão marginalizados na instituição. Os que apostaram na operação tartaruga e nas operações pirotécnicas são vitoriosos. Bem como a mídia que apostou sua fichas na defesa do governo. Isto É, Carta Capital, O Dia e outros estão com patrocínios garantidos para mais quatro anos. Graças a generosidade da “nossa” Petrobrás, Banco do Brasil, Correios e afins.

A licença para roubar foi dada. Se com tudo que foi visto, o governo ainda recebeu um voto de aprovação, não há limites para esta turma. Podem ficar de olho nas ONGs, elas serão os intermediários. O Estado de Direito será atropelado.

O viés autoritário ficará mais evidente. O grande inimigo: a mídia independente. E se o judiciário ousar se colocar como obstáculo será o próximo.

Mas será na economia que o abalo será forte. Tudo indica que o ciclo de crescimento mundial está chegando ao fim. Este governo não tem a menor condições de enfrentar uma recessão com as idéias que defende. O ministro da fazenda e a da casa civil __ me poupo de sequer pronunciar estes nomes __ já iniciaram um movimento para derrubar Henrique Meirelles no Banco Central. Querem a derrubada das taxas de juros por decreto, mesmo em prejuízo das metas de inflação. Lula se comprometeu na campanha a não reduzir os gastos públicos, e não há motivo para que não o faça já que não fez até hoje. Já foi comprovado que a conta não fecha. Só há duas saídas: aumento de impostos e inflação. Aposto nos dois.

O maior programa de distribuição de renda já feito no Brasil foi o Plano Real e o fim da inflação. Pois ambos estão ameaçados. E o povo irá descobrir que os R$50,00 da bolsa-família não servirá para nada. E não adiantará reclamar, pois foi opção sua.

De tempos em tempos uma nação chega a uma encruzilhada. Um caminho leva ao futuro, a um papel mais digno no mundo. O outro leva ao atraso. Erramos em todas estas encruzilhadas, mas todos os erros anteriores foram da elite política. Este é diferente, a responsabilidade é todo da povo brasileiro. Não haverá a quem culpar, apenas sobrará o arrependimento. Que nem todos terão a humildade de assumir.

Sei que hoje faço parte de 40% dos eleitores brasileiros que repudiam este governo. E este sentimento é forte, de revolta. Apesar das manchetes, a mídia "isenta" foi um dos responsáveis pelo que aconteceu. Pois não há como ser isento em uma situação moral. Se não tiveram coragem de justificar o roubo, tentaram mostra-lo como luta política. Como um capricho na oposição. Não chamaram as coisas pelo devido nome. Abusaram de eufemismos como "recursos não contabilizados", "suposto mensalão". Nenhum jornal teve a coragem de dizer que o presidente mentiu, e quando mentiu. Apenas entrou em contradição.

Faço parte de 40% dos eleitores brasileiros que consideram que os fins não justificam os meios. Que a corrupção é o maior dos nossos males. E que só pode ser combatida com a total intolerância, como fazem as nações civilizadas.

Coisa que evidentemente, não somos.


Nenhum comentário: