segunda-feira, outubro 16, 2006

Filosofando


De uns tempos para cá resolvi ler um pouco sobre filosofia. Cheguei a conclusão que nós engenheiros temos a propensão de restringir o mundo a nossa volta ao tecnicismo, esquecendo a parte humana.


Dentro desta andança deparei-me com um pensamento muito interessante. Trata-se da filosofia de Parmênides, que viveu na Grécia cerca de 500 anos antes de Cristo.


Parmênides, foi o primeiro filósofo a defender a superioridade da interpretação racional do mundo e negar a veracidade da percepção sensível. Segundo ele, os nossos sentidos nos trazem opiniões e crenças, a verdade é fruto da argumentação racional, do pensamento, da análise.


Erra quem se deixa enganar por seus sentidos. A verdade só é alcançável com esforço, e principalmente, não é alcançável por todos. Apenas o ser é pensável. Este ser seria a verdade no pensamento de Parmênides, a opinião, a crença seria o não-ser. E o não-ser não é pensável, pois é a negação do ser.


Exemplificando, a negação da luz é a escuridão. A luz é o ser, a escuridão é o não-ser. Você vê a luz, mas não vê a escuridão. Da mesma forma que não escuta o silêncio. O não-ser não é descritível, não pode ser posto em palavras, pois não é pensável


Restam de sua obra, 154 versos de seu poema filosófico “Sobre a natureza”. Trata-se de uma metáfora, onde o filósofo percorre um caminho que leva da escuridão(o não-ser) à luz (o ser, a verdade). Do que li destaco este abaixo verso abaixo, que pode ser resumido com o seguinte pensamento: A razão, e não o olho, é quem vê a verdade


Me afastes desse caminho de busca o teu pensamento,
nem o hábito, nascido de muitas experiências, e esse caminho te obrigues
a mover o olho que vê, o ouvido que ribomba e a língua,
mas julgues com razão a prova muito debatida
que por mim foi fornecida.
E permaneças falando sobre o caminho que diz o que é.

Por que achei interessante a filosofia de Parmênides? Porque não consegui deixar de fazer uma analogia do que está acontecendo com nosso país. Analisando pela razão não consigo entender como alguém ainda vote em Lula depois do que foi visto nestes dois anos. E nem poderia ver! Os que votam em Lula estão obscurecidos por seus sentidos, votam por uma crença, uma opinião. Não conseguem expressar com argumentos seu voto, pois tal argumentos não existem. E portanto não podem ser postos em palavras ou pensados. São dogmas, são percepção. O povo percebe o presidente pela figura que se acostumou a ver: o humilde operário honesto que conseguiu vencer o sistema e tornar-se presidente da república.


Pois Parmênides dizia que a verdade está na razão, mesmo que ele contrarie frontalmente os nossos sentidos. Mas a verdade precisa de esforço, e nosso povo está anestesiado demais para persegui-la.


E corremos o risco de todos sofrermos por isso. Os que vêem com a razão e os que vêem com os olhos.

Nenhum comentário: