sábado, outubro 07, 2006

Semana Perdida e Estatais

O candidato Geraldo Alckmin conseguiu a proeza de sair renascido das urnas no primeiro turno e jogar uma semana de campanha fora, onde deixou que Lula tomasse a iniciativa e iniciar um processo de destruição da imagem do tucano.
Os sinais são claros. Entre outras, o candidato-presidente afirmou que o caso dos sanguessugas iniciou em 2001 na gestão Serra no ministério da saúde. A CPI foi enfática até agora. Não existe o menor indício que isto seja verdade, tendo Gabeira e Jugman colocado esta constatação por escrito. Só existe um lugar que caiba esta acusação: o dossiê Tabajara. E ainda tem gente que acha que o presidente não sabia da armação.
A nova onda agora é soltar factóides que Alckmin tem estudos para privatização do Banco do Brasil e Caixa Econômica. O que nunca esteve nos planos tucanos. E digo isto infelizmente. Estes dois bancos hoje tem de destacado principalmente por duas características:
  1. Abrigar petistas, sempre prontos a quebrar sigilos bancários sem autorização judicial e "vazar" para a imprensa na forma dos mais variados dossiês. Sigilo de sua conta? Esqueça. Procure outro banco.
  2. Financiar corrupção. Como o mensalão expôs as agências de publicidade, a nova agora são as ONGs. Logicamente todas fortemente ligadas ao PT. Afinal neste mundo quem pode contra uma ONG com as mais variadas finalidades filantrópicas não é mesmo?
E pode incluir nesta conta outras Estatais sempre prontas a utilizar nossos recursos em pró da distribuição de renda (para alguns, lógico): Petrobrás e Correios.
Exagero? Faça uma pesquisa. Duvido que encontre um caso de corrupção nestepaíz(sitando o apedeuta mor) que não tenha as digitais de uma estatal no meio!

Nenhum comentário: