quarta-feira, novembro 29, 2006

Exemplo de Mal Jornalismo

Não sei quem foi o jornalista que escreveu o texto sobre o novo disco do Who na veja, mas o que ele fez foi um exemplo do que não se deve fazer para produzir uma manchete.
A matéria apresentou Pete Townshend como uma pessoa que teria perdido o direito de se expressar devido ao processo, que nem ocorreu, de pedofilia. A polícia britânica concluiu que não havia elementos para justificar um processo.
O jornalista conseguiu ainda tratar a opera-rock Tommy (em cartaz até hoje) como "um conjunto de canções sem graça com duas músicas boas no meio".
Nem vou perder meu tempo listando tudo, mas como exemplo pego o trecho em que o jornalista afirma que Townshend considerou um presente a morte de John Entwistle, baixista do Who.
"Nas entrevistas de divulgação de Endless Wire, este último disse que a morte do baixista foi um "presente" – que o ajudou a centrar o foco nas composições para o novo disco do Who."

Veja o que disse Pete na entrevista para a Veja, que foi picotada tendenciosamente para a edição impressa:
Por ironia do destino, quando (o baixista) John Entwistle morreu, senti que o processo de composição seria mais fácil do que pensava. Afinal, tinha apenas de satisfazer duas pessoas: eu e Roger Daltrey.
Existe uma grande diferença entre "ironia" e "presente". A ironia é que John era um excelente compositor, e como tal colocava pressão nas composições de Pete. Com a sua morte ficou mais livre para trabalhar. Não foi presente.
Uma reportagem para ser esquecida.

Nenhum comentário: