quarta-feira, novembro 29, 2006

Manual do Perfeito Idiota Latino-americano (IV)

Os Culpados são os Outro


Os autores apresentam no capítulo IV a tese do idiota latino-americano que coloca toda a culpa dos males que nos afligem no países ricos. Nunca temos culpa do que nos acontece. Sempre existe alguém __ uma empresa, um país, uma pessoa __ responsável por nossa sorte. Agrada-nos ser ineptos de consciência limpa.

Argumentam utilizando a lógica. A riqueza é uma criação, e não alguma já existente. Portanto, a prosperidade de um país não é produto do roubo de uma riqueza instalada em outro lugar. A economia norte-americana é constituída, por exemplo, de serviços (75%), sem utilizar nenhuma matéria-prima latino-americana.

A Espanha e Portugal, poderes coloniais, estavam até bem pouco tempo bem atrás dos países europeus em nível de crescimento, demonstrando que o imperialismo não é razão de desenvolvimento. A Alemanha, por exemplo, nunca foi potência colonial.

Esquecem, os idiotas, que recursos naturais não significam necessariamente em riquezas. O Japão e os Tigres Asiáticos bem comprovam esta tese.

Defendem que não adiantaria dividir a riqueza dos países desenvolvidas, pois a transferência não resolveria um problema fundamental: como criar riquezas o tempo todo. Segundo os autores, a busca do lucro é a locomotiva que move o mundo. O idiota latino-americano considera o lucro imoral, e que deve ser combatido.

Ressaltam que investimentos estrangeiros não garantem a resolução dos problemas do sul do Equador, devem ser conjugados com o desenvolvimento do mercado nacional. Um dos problemas é a dependência excessiva da exportação de matérias primas. Nosso países sofrem da falta de diversificação das respectivas economias.

Por fim, afirmam que é uma falácia culpar empresas estrangeiras por nosso atraso. As maiores empresas que atuam no continente já são nacionais, na verdade rico são os governos, ou mais precisamente, o Estado.

Nenhum comentário: