sexta-feira, dezembro 01, 2006

Cartão de Crédito Corporativo

Um dos momentos na última campanha que atingiu Lula, e foi muito mal explorado nos dias seguintes pelo candidato de oposição foi o cartão crédito corporativo.

Este "monstrengo" é uma atentado literal à lei 8666. Foi criado por FHC e aprimorado por Lula que o colocou sobre a rúbrica de "sigilo de estado".

Misturaram alhos com bugalhos, usando uma expressão bem ao gosto do apedeuta da república.
Segundo a explicação oficial, a divulgação dos extratos destes cartões colocariam em "risco" a segurança pessoal do presidente e seus acessores diretos. Poderia ser usado por "terroristas".
Pois sabem quanto foi gasto este ano pela presidência?

9 bi.

É isso mesmo, o mesmo valor que o governo dispões para investir ano que vém. 9 bi. E tem gente que ainda acha que precisa arrecadar mais.

O JB de ontém informou que só no arquivo nacional, R$ 27 mil reais foram sacados em dinheiro vivo por 6 funcionários. O coordenador do arquivo informa que a maioria dos gastos foram com obras, compras e preservação. É uma flagrante fuga da licitação, e não existe nenhuma justificativa para fazer este gasto com cartões de crédito.

Ah, funcionários falaram também que "sofrem" com a falta de clipes, canetas e afins. Nada que também não possa ser comprado no início do ano em processo licitatório.

Para quem não sabe, existe um negócio chamado "suprimento de fundo", que qualquer servidor pode receber um valor em dinheiro para gastos. O grande problema? É limitado em R$ 4.000,00 (podendo ter dois ao mesmo tempo) e principalmente existe um relatório rígido de prestação de contas. Eu sei porque já recebi alguns.

Quem não trocaria um suprimento destes por um cartão de crédito sem limites, pago pelos bobos da corte, e sem necessidade de prestar contas?

Brasil, uma país para todos!

Nenhum comentário: