sábado, janeiro 06, 2007

Top 5 - Escritores



1. Agatha Christie

Escritora inglesa que dizem ser a mais lida do mundo. Escreveu mais de 80 romances policiais e foi responsável por minha entrada no mundo da leitura. Seu detetive Hercule Poirot é um dos personagens memoráveis criados por ela, além de Miss Marple e os irmãos Beresford. Curiosamente a sua melhor estória não tem detetives, O Caso dos 10 Negrinhos.

2. Stephen King

Ficou marcado com escritor de livros de terror, embora o gênero tenha se desenhado mais no início de sua obra. Depois concentrou-se nos distúrbios psicológicos que levam muitas vezes as pessoas à atos extremos. E é o processo psicológico associado a seu talento narrativo que mais gosto neste escritor. É difícil parar de ler um livro seu.

3. Érico Veríssimo

Só o Tempo e o Vento já bastariam para incluí-lo, mas ainda escreveu obras onde se destacam o cotidiano e as amarguras humanas. É impossível não sentir os dramas vividos por seus personagens e suas alegrias com as menores conquistas.

4. Ken Follett

Muitos criticam os autores de best-sellers. Eu não. Adoro um bom best-seller. Entre eles o meu favorito é Ken Follett que consegue nos envolver em suas tramas e cria vilões fantásticos, maus até os ossos.

5. Maurice Leblanc

Um dos personagens mais originais que já li é o ladrão francês Arséne Lupin. Um misto de aventureiro com detetive que comete crimes sem nunca matar. Suas fugas da cadeia, seus embates com Ganimard e Herlock Sholmes (sic) são fantásticos.



citam-se ainda: Jane Austen, Irwing Wallace, Jeffrey Archer, Connan Doyle, Alexandre Dummas, Tolkien, Harold Robbins, Julio Verne.

2 comentários:

Anônimo disse...

Para quem gosta de histórias envolvendo advogados e tribunais, eu indicaria John Grisham, autor de alguns best sellers famosos: Dossiê Pelicano, O Cliente, A Firma, O Homem que fazia chover, entre outros. Infelizmente parece que sua criatividade chegou a um limite porque começou a escrever livros voltados para outros temas onde não é tão brilhante. Por último escreveu um livro, O Inocente, de não-ficção, onde aborda erros cometidos em julgamentos nos tribunais americanos quando ainda não haviam os recursos científicos de hoje e alguns presos foram injustamente condenados à morte por confissões forçadas e mais tarde inocentados graças a exames de DNA. Guerson

Marcos Guerson Jr disse...

Está registrado a dica! Desses li o Dossiê Pelicano e a Firma, ambos muito bons.