terça-feira, janeiro 30, 2007

Urnas de Alagoas

Faz duas edições que a Veja vem mostrando a investigação que está ocorrendo em várias urnas que foram utilizadas na última eleição em Alagoas. Não é coisa a toa, pois o ITA já entrou na jogada e seu relatório aponta para indícios fortes de fraude. Este fato por si só já seria grave, mas os desdobramentos parecem de maior gravidade ainda.

Mesmo com este parecer do ITA o TRE e o TSE se apressam em garantir que as urnas não foram violadas, que tal prática é impossível. Claro que não é. Se conseguem violar a segurança da NASA e de bancos, que investem bilhões na proteção de seus sistemas, porque não conseguiriam penetrar nas urnas brasileiras? A nossa maior garantia seria a vigilância e ação firma da justiça eleitoral, por isso me causa espanto e preocupação quando a justiça assume a defesa do sistema. Nenhum sistema é infalível.

E não para por aí. A mídia também não quer mexer neste vespeiro, nem os partidos políticos. Estamos diante de uma situação em que a segurança das urnas não pode ser questionada. E desconfio de tudo que não possa ser questionado. A fraude de uma única urna prova que qualquer outra pode ser fraudada, o que colocaria sob suspeita todo nosso processo eleitoral.

Não sou adepto de teoria conspiratória e sempre as retruquei aqui. Mas indícios devem sim ser investigados e as urnas eletrônicas a despeito de todas as vantagens tem um ponto extremamente negativo. Impede a verificação do resultado. Talvez por isso nenhum outro país a tenha adotado. A cédula permanece como registro e permite que seja feita a recontagem e que apuração seja acompanhada por fiscais de todos os partidos.

Desconfio sempre de tudo que o Brasil faz que ninguém mais faz. Sempre.

4 comentários:

AlexiaGB disse...

Bom, a primeira vez que expliquei pro Alan como se fazia a votação no Brasil, que era tudo eletronico e tal, a primeira pergunta dele foi "mas então como se faz para saber se o resultado não foi alterado?"

Fiquei sem resposta...

Marcos Guerson Jr disse...

Pois é, era só o que faltava não poder confiar no próprio resultado das urnas.

AlexiaGB disse...

eu nunca tinha pensado nisso, mas quer dizer que agora não tem mais fiscal dos outros partidos acompanhando a votação?

Votei ano passado no Canada (e pelo jeito, da maneiro como as coisas vão, vou ter que votar de novo esse ano) e era no papelzinho mesmo... hehehe, foi legal, eu falei pros mesários que era minha primeira vez votando como cidadã canadense, que eu tinha acabado de virar cidadã e todo mundo me parabenizou "parabéns! bem-vinda ao canadá!"

Aliás o voto é interessante lá... como não é obrigatório eles fazem de tudo para que seja o mais fácil possível para as pessoas irem votar. Se vc já sabe que vai viajar no dia da eleição, vc pode votar antecipadamente - uma semana antes eles abrem uns centros de votação para as pessoas poderem ir votar. Também tem como votar pelo correio se vc estiver passando mais tempo fora. Basta requerer uma cédula. Ah, e algumas semanas antes das eleições vc recebe seu cartão de eleitor confirmando seus dados (nome e endereço) e comunicando o posto de votação. É mais ou menos automatico; acho que conseguem esses dados da declaração de imposto de renda. Nada dessa historia complicada de titulo de eleitor, tranferir residencia eleitoral, etc...

Marcos Guerson Jr disse...

Os fiscais ainda existe, mas eles fiscalizam o que? Se uma urna já está previamente alterada por um software eles nada podem fazer.