quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Mais violência

Vocês conhecem Bernado Cataldo Neto? Pois este senhor foi condenado em 1997 por estuprar uma menina de 14 anos. Foi condenado a 14 anos de prisão. Duvido quem encontre um país (decente) que condene a 14 anos o estuprador de uma menor. Mas isto não é o pior. Devido ao nosso regime de "progressão da pena" ele foi solto após cumprir metade da pena.

Foi preso na segunda-feira novamente. Estuprou uma menina de 3 anos! 3 anos! É a idade da minha filha. Pois além de ter a filha estuprada a família ainda é obrigada a conviver com o fato que o bandido deveria estar cumprindo sua pena na prisão (por menor que fosse).

Enquanto isso as ONGs de proteção aos menores faz pressão no congresso contra a redução da maioridade. Será que ninguém percebe a contradição? Estão se lixando para o menino João Hélio ou esta pobre menina. O que querem é continuar mamando no dinheiro público para supostamente fazer o papel que o Estado deveria fazer. Defendem que em vez de colocá-los na prisão devem ser cuidados com "amor e carinho".

Pois a pressão das ONGs está fazendo efeito. O Senado recuou ontem na questão e adiou a votação da matéria. A mesma coisa aconteceu na Câmara com novas leis contra a impunidade. Infelizmente devemos esperar mais uma tragédia para a questão andar.
E não vai demorar muito.

5 comentários:

Vinicius Duarte disse...

Ora, o que tem a ver uma coisa com a outra???

Os crimes de Heliópolis foram cometidos por um cara de 43 anos!!!! O que isso tem a ver com essa salada que você criou com ONGs, maioridade penal, progressão de pena, JH, etc.?
Você já se ligou que esse Bernardo Cataldo Neto é um filho de bacana, cheio do tutu, que tem acesso a advogados de primeira?

Marcos Guerson Jr disse...

Tem mais a ver do que você pensa.

No início falei do senhor Bernado, já adiantando que era maior de idade. O que estou querendo dizer é a contradição das ONGs que são rápidas para defender bandidos menores mas não aparecem para defender as vítimas menores de idade. Esta é a contradição.

O fato do Bernado ser filho de bacana só demonstra que não é a pobreza que faz o bandido, mas a própria índole.

Mas o problema nem é esse, não dá para eliminar a maldade do mundo, mas o fato que o Estado solta um cara destes depois de apenas 7 anos no xadrez.

Anônimo disse...

É facil comentar o que se apresenta pelos jornais, os quais muitas vezes condenam quem sequer foi o autor, é verdade que esse tipo de delito causa repudio a população, principalmente em se tratando de menores de idade e crime sexual, mas há que se acautelar em comentar aquilo que os jornais divulgam pelo ouvir dizer... Cautela e canja de galinha não faz mal a ninguem, poderia ser com vc... o equivoco jornalistico.pergunta-se e ai ???

Marcos Guerson Jr disse...

Notícias de jornais são passíveis de terem erros sim, e freqüentemente eles acontecem. Bons jornais os reconhecem, fazem a devida correção.

Isso não coloca automaticamente toda notícia sob suspeita; fosse assim ninguém leria jornal. Fica ainda mais difícil o erro quando se trata de dados objetivos; os erros mais comuns são nomes errados e deturpação de declarações.

Não foi o caso desta matéria. Não há declaração do criminoso, justificativas, nada. O nome, se estava correto ou não, pouco me importa. O que valeu aqui foi um fato, e um fato divulgado nos mesmos termos de uma série de jornais diferentes.

Anônimo disse...

VC SABIA QUE ESSE CARA O TAL DE Bernardo, ESTA NOVAMENTE NO SEMI-ABERTO E QUE NA PASCOA VAI PODER SAIR E IR VISITAR A FAMILIA??? E NESSA SAIDINHA PODE ATACAR NOVAMENTE, É PRECISO CUIDADO !!! POIS AGORA O ENDEREÇO DELE É FIXO E DO ESTADO