domingo, fevereiro 04, 2007

Pais brilhantes, Professores fascinantes

De Augusto Cury

Este livro tem o grande mérito de juntar no mesmo texto pais e professores. São os dois maiores vetores para a educação dos jovens e normalmente são tratados como peças isoladas. Não podem. São partes de um mesmo problema: a deterioração da educação.

Sim, a educação está em crise. Eu que sou aluno e professor sei bem disso. E sei das minhas limitações nos dois papéis. E sou pai também. O livro portanto me atinge em cheio.
Muito do que está lá já tinha pensado e acordado para o problema, mas muita coisa é nova para mim. A associação da emoção com a aprendizagem, por exemplo, é novidade. A formação da memória também. Mas a principal mensagem que tirei desta obra é a necessidade dos educadores, sejam pais ou professores, descobrir os filhos e alunos. Aí é que está a chave da questão.

O diálogo assume um papel fundamental para conhecer realmente o jovem que está diante de nós e convivendo conosco dia após dia. É através dele que os pais tem que abrir seus próprios corações, contar suas angústicas e sua história para o filho compreender que está diante de um ser humano e tirar lições valiosas da vida.

Quanto a escola o retrato que Cury faz do sistema atual é angustiante. E se lembrarmos de nossos tempos na escola, e estou até hoje, sabemos que existe muita razão em seu pensamento. Estamos vomitando conteúdo e informações para uma aluno que não consegue captar nem 1% disso. Não percebemos que o aluno de hoje recebe muito mais informação fora da escola do que um de vinte anos atrás, e isto interfere gerando stress. Não é a toa que este mal de adultos está cada vez mais presentes em sala de aula.

Professores e pais estão cada vez mais estressados, assim como seus filhos e alunos. Quando vamos descobrir que a educação está realmente doente?

3 comentários:

Alexandra disse...

como aluna e futura professora, esse é um assunto que me interessa muito. Gostaria muito de ler esse livro. A descoberta do aluno/filho é uma coisa interessante. No Canada muitos dos meus colegas já planejam seus cursos baseados em conceitos pedagógicos centrados no aluno. Eu ainda não sei muito a respeito; vou me dedicar a aprender mais a respeito nesse verão já que tenho que começar a dar aula em setembro...

Tambem estou interessada no ensino infantial principalmente em temas como a iniciação e fomentaçao da leitura. Gostaria de trabalhar como voluntária nessa area; talvez ajudar pessoas com problemas de alfabetizacao ou filhos de imigrantes...

julia disse...

JUlia disse...

Gostei do livro, ajudou-me muito como professora, aluna e mae.Gostaria de indicar outro livro do mesmo auutos, Filhos Brilhante alunos fascinantes,indicado para criancas de 0(zero) a 100 (cem) anos..

Anônimo disse...

Qdo vc falou sobre a emoção na educação bateu no ponto chave do processo: atingir o aluno, tirá-lo da situação confortável de receptor e trazê-lo para a interação na instrução. Não podemos ter medo do q eles tem a nos dizer, não se pode ter medo de aprender com eles. Grande abraço!