sábado, março 31, 2007

Pior solução Possível

O governo mostrou mais uma vez toda sua incompetência ao lidar com o caos de ontem. Além de aceitar passivamente que um grupo de sargentos paralisassem o país, desautorizou o Comandante da Aeronáutica e cedeu a todas as exigências da rebelião. Mais uma vez afirmo, não existe greve no meio militar, existe rebelião.

O que aconteceu ontem foi crime militar, tipificado do respectivo código. Pode ter resolvido a situação de ontem, mas as conseqüências maiores ainda hão de vir. O presidente conseguiu levar a sindicalização para dentro das forças armadas e nada de bom pode vir daí.

Não se enganem com a desmilitarização. É bom só para o atual governo. Por que? Porque passando para controle civil poderá se sindicalizar oficialmente e entrar no guarda-chuvas da CUT. Enquanto o PT estiver no governo tudo bem, mas saindo a CUT volta a seu estado padrão: infernizar o governo. E já aprendeu que terá uma excelente arma nas mãos.

Mais uma vez afirmo, as Forças Armadas são as guardiãs do que existe de mais letal em uma nação. Uma greve da Polícia pode ser enfrentada por elas, como já foi. E uma greve do Exército? Quem enfrenta? A ONU?

Há cerca de vinte anos atrás o Brasil assistiu estarrecido um simples Capitão, que eu conheci, tomar a prefeitura de Apucarana com uma tropa de blindados. Já vivíamos o governo Sarney. O que aconteceria num movimento mais amplo?

A solução de ontem teria de começar necessariamente pela prisão dos líderes do movimento. No mínimo. E isso não é decisão de governo, está no código penal militar e deve ser cumprida. A partir do momento que se permite que militares façam rebeliões a situação fica fora de controle. Questão de tempo. Mais um presente do Lulismo-petismo ao país.

Nenhum comentário: