sexta-feira, março 16, 2007

A primeira investigação de Maigret

Sempre fui um fanático pelos romances de Agatha Christie. Por tabela acabei muitas vezes escutando falar de George Simenon e seu detetive, o Inspetor Maigret. Depois de muitos anos, aproveitando o lançamento da editora L&PM em pocket, li A Primeira Investigação de Maigret.

Como não tinha praticamente referência nenhuma deste escritor belga e sua obra, confesso que não tinha expectativa nenhuma para este romance. E me surpreendi. Se Sherlock Holmes e Hercule Poirot são pontos extremos de detetives, dois gênios em suas habilidades, o inspetor Maigret é um terceiro ponto, formando um triângulo.

Poirot é o gênio da elaboração mental, da profunda análise da psicologia do crime como gostava de dizer. Holmes aliava um profundo conhecimento científico a uma análise criteriosa das cenas dos crimes..

E o que é Maigret?

É o homem comum. Um inspetor esforçado, persistente mas sem ser brilhante. O romance que li não se pode dizer nem que resolveu o caso, no máximo tomou a direção correta. A trama? Se Conan Doyle e Agatha Christie montavam tramas mirabolantes e complexas, a trama de Simenon é extremamente simples e até certo ponto banal.

Decepção? Até que não, pois seus personagens são fortes e interessantes. E dificilmente pode-se dizer que são bons ou maus. O vilão não é bem vilão e o mocinho não é bem mocinho. Nem mesmo Maigret está acima do bem e do mal.

E isto que torna sua estória bem real. Definitivamente lerei mais um.

Nenhum comentário: