quarta-feira, março 28, 2007

Programa nuclear iraniano

Em 2003, A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) comunicou que o Irã ocultara um programa de enriquecimento de urânio por 18 anos. A questão é que este país integra o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP), que impede o desenvolvimento de armas nucleares por aqueles que ainda não possuem a tecnologia. O Tratado prevê o enriquecimento para fins pacíficos (produção de energia), mas deve ser realizado com acompanhamento e fiscalização da AIEA, à semelhança do que acontece com o Brasil.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, afirma que o propósito do programa nuclear de seu país é diversificar as fontes de energia. Como o país é rico em gás e petróleo e, recusou recentemente ofertas de urânio já enriquecido, aumentam as suspeitas que esteja visando o desenvolvimento de armas nucleares.

No fim de 2006, o Conselho de Segurança (CS) da ONU aprovou resolução prevendo sanções bélicas e tecnológicas ao Irã e determinando o fim do desenvolvimento do programa em um prazo de 3 meses.

Terminado este período a AIEA constatou que não apenas a resolução não foi cumprida, como o programa foi acelerado. Israel já trabalha com a hipótese que o ciclo de enriquecimento esteja concluído em um ano e que, vencida esta etapa o país se retire do TNP para desenvolver armas nucleares.

A questão é bastante sensível, e as potências ocidentais tentam impedir por vias diplomáticas o prosseguimento por este caminho. Em caso de fracasso, é provável que haja ações militares por parte de Israel e dos Estados Unidos. O que tornaria o Oriente Médio ainda mais explosivo do que é hoje.

A melhor coisa para a humanidade hoje é o sucesso da investida diplomática, pois parece cada dia mais improvável que as potências ocidentais assistam impassíveis o surgimento de uma potência nuclear na região.

Um comentário:

Patrício no Pilar disse...

Tomei um calote de Ciro Gomes em 2000 e até hoje não vi a cor da grana...fiz então um blog para anunciar com humor e contundência não só o calote como muitas facetas interessantes desse político cuja maior característica é não ter coerência alguma. O resto vocês julguem... e se gostarem espalhem o endereço por aí. Gratíssimo pela atenção...

Patrício no Pilar
http://cinevertigem.blig.ig.com.br