terça-feira, abril 10, 2007

Direita x Esquerda

Mais um pouco sobre a discussão esquerda X direita. Existem muitas definições, a maioria bem forçada, do que seria a esquerda e o que seria a direita como ideologia. Quando o mundo era bi-polar era fácil definir, direitista era quem se alinhava com os Estados Unidos e esquerdista com a União Soviética. Quem não seguisse um ou outro era denominado "não alinhado".

Com a queda da URSS esta definição se perdeu. No Brasil criou-se um mito: esquerda é o bem supremo e direita é o mal. É fácil ver isso na mídia, e muitas vezes sem precisar ler as entrelinhas. Em parte deve-se a euforia do fim do regime militar, que foi associado à direita. Todo político que quisesse sobreviver a partir de 1985 se definia como esquerda, em conseqüência nenhum partido ou político utiliza a denominação "direita". O que provoca uma distorção e um vazio no debate político no país, pois as teses da esquerda são ditas incontestáveis. Se você defende a pena de morte, é direitista. Se condena o aborto, é direitista. Se critica a qualquer coisa que tenha social no nome, é direitista.

Não é tão simples assim. Se for seguir estes critérios a última pesquisa datafolha demonstra que a maioria da população é de direita. Podem nem saber disso, mas são. O que leva a uma contradição, pois são governados pela esquerda.

Reinaldo Azevedo, em seu blog, coloca sua definição para a fronteira entre as duas ideologias. Se você acredita que a lei possa ser violada em nome de uma causa justa você tem pensamento de esquerda. Se você acha que a lei é inviolável, mesmo por uma causa justa, você é de direita. O direitista não admite a violação das leis do país, acredita que estas só podem ser modificadas no parlamento. A esquerda não. Acredita que se o parlamento não as modifica, a sociedade pode se organizar e através de pressões, movimentos e até mesmo de uma revolução assumir o controle e modificar a lei.

Um bom exemplo é o MST. Um governo de direita trataria o movimento dentro do regime legal existente. Prisão e processo de seus líderes e a aplicação da lei que impede terra ocupada de participar da reforma agrária. O governo atual, de esquerda, ignora a lei e distribui terras ocupadas. O próprio ministro da Justiça na época, Márcio Thomaz Bastos, defendeu em público que a causa era justa e por isso deveria haver uma "acomodação tática da lei e da constituição".

Acredito que a Constituição brasileira é horrorosa, e nosso sistema legal muito ruim. Mas este não deve ser motivo para que não seja cumprida. Infelizmente se perdeu uma grande oportunidade na revisão constitucional de 1998. O lugar apropriado para reformá-la e mudar as leis é o Congresso, por pior que sejam seus legisladores. Cabe a sociedade julgá-los e substituí-los. Infelizmente estamos longe disso, mas qualquer outra solução sempre trará mais estragos que benefícios.

Logo, seguindo esta definição, sou de direita.

5 comentários:

Xanda disse...

Eu sou de esquerda em certas coisas e de direita em outras. Talvez eu seja o tal "centre-left"...

Por exemplo, Norberto Bobbio argumenta que a diferença principal entre direita e esquerda é que a esquerda prioriza a igualdade social e direita prioriza a responsabilidade individual e a manutenção de uma inequalidade inerente entre as pessoas. Nesse sentido eu tendo a ser de esquerda pois acredito que temos que lutar contra a desigualdade e promover inclusão social.

Eu tendo a ser de esquerda em relação a causas sociais e de direita em relação a economia. Fiz o questionario nesse site e descobri que sou "Libertarian left":
http://www.politicalcompass.org/questionnaire

Faça o seu!

Marcos Guerson Jr disse...

Pois eu saí como Libertarian right

O site considera esquerda-direita como questão econômica. Ele faz uma relação entre este ponto com o liberdade-autoritarismo. Pelo seu resultado vc na verdade está na esquerda econômica e na liberdade. Acredito que seria a tal da social-democracia, que ninguém sabe definir bem.

Eu estaria na direita liberal, junto com gente como Martin Friedman. Engraçado que segundo nosso primo João, ele não é estudado nos cursos de economia, apesar de ter dado a receita do sucesso para a Inglaterra, Chile e Estados Unidos. No Brasil, só se estuda economista "de esquerda", apesar de seus inúmeros fracassos.

Alexandra disse...

Acho que eu sou social-democrata e tendo um pouco pra esquerda por causa dos anos no Canada. Lá vi como isso pode funcionar para o bem de todos. O Canadá é lider mundial em inclusão social e a expectativa de vida e mortalidade infantial estao entre as mais baixas por causa da saude publica universal. Nao existe sistema de saude privado. A economia é liberal e flexivel mas em termos sociais o país é bem socialista. Eu vejo o que o liberalismo desenfreado pode levar cada vez que vou aos EUA e fico feliz por estar no Canada. Pq o governo dos EUA depende da iniciativa privada para tudo e nao interfere em nada, lá as mulheres não têm direito a licença maternidade e as únicas pessoas que podem contar com tratamento de saúde digno são os que tem dinheiro. Existe toda uma classe de excluidos.

No Canada existe pobre também, pessoas que sofrem discriminações, mas existe também todo um aparato - governamental e não-governamental - para ajudar essa pessoa a lutar contra a exclusão. Nao existe o tal cidadão de segunda classe. As pessoas acreditam que todos - independentemente da cor, sexo, classe social - têm a mesma capacidade de sucesso. E essas cosciencia social se reflete nas politicas, nos programas do governo, etc. Para um americano ou alguem realmente de direita muita coisa parece interferencia excessiva do governo. O governo, para eles, pode ser um bixo-papão. Mas um povo educado sabe manter o governo e seus políticos nos eixos.

Alexandra disse...

E é isso que eu vejo em cada eleição no Canada. As pessoas cobram de seus políticos e deixam bem registrados o que querem e o que consideram importante. Basta ver o resultado das ultimas eleições em Quebec para ver isso.

Camila disse...

Eu sou completamente de direita. As pessoas mal leem algo ou veem essas coisas absurdas na ''Rede Globo'' e já condenam os de direita. Acham Guevara um heróizinho,mas não conhecem a verdade escondida na história. Acham que sabem de muita coisa só por terem lido ''O Manifesto Comunista'' (que é mais fininho mesmo) aff! Sim, Marx é inquestionavel, porém,nada que existiu passa nem perto de sua idéia de socialismo. O que Stalin exerceu nao passou de uma ditadura semelhante ou identica a de Hitler e Mussoline. Não criem idéias falsas de socialismo. Não passam de preguiçosos que não se esforçam e querem se ''dar bem'' as custas dos outros...Não procuram conhecimento e se alienam com essa mídia medíocre !