quarta-feira, abril 11, 2007

Tem como ir para frente?

Do blog do Reinaldo Azevedo:

A avaliação de Lula será sempre tanto melhor quanto mais o Congresso enfiar o pé na jaca. E o nosso adora andar com a sola lambuzada, não é mesmo? Ou então vejamos:
- Ontem, os patriotas decidiram que não se vota mais nada às segundas-feiras. A medida fazia parte de um esforço moralizante de Arlindo Chinaglia (PT-SP). Moral no PT é como vôo de galinha: curto, grosso e desajeitado;
- Esses brasileiros exemplares também decidiram elevar os próprios salários de R$ 12.847 para R$ 16.520 — reposição da inflação — tão logo se votem as MPs do PAC;
- A Mesa da Câmara se reúne hoje para discutir a elevação da verba para a contratação de assessores: de R$ 50,8 mil para R$ 65,1 mil por mês. Não sei se entendem: os deputados tinham decidido elevar seus salários para R$ 24,5 mil, elmbram-se?. A sociedade reagiu. Sensíveis, eles recuaram. Reparem: naquele caso, o aumento seria de R$ 11.653. Agora, eles pleiteiam uma elevação salarial de modestos R$ 3.673 e uma ampliação da verba de R$ 14,3 mil. Ou seja: assustados porque a sociedade protestou contra a mordida de R$ 11.653, eles, então, resolveram deixar por R$ 17.973. E trabalhando menos. Entendeu, leitor?

Ah, mas isso é para contratação de assessores! Sei. Entendi. É para o nosso bem. Por falar nisso, Luiz Sérgio (RJ), líder do PT na Câmara, justificou a suspensão das votações às segundas dizendo que os parlamentares precisam ouvir suas bases; que seria até mais cômodo ficar em Brasília. Ou seja: também é em nosso benefício. Vamos implorar aos deputados que parem de cuidar de nós.


Na prática o protesto generalizado com o aumento de salários dos deputados no fim do ano passado gerou uma solução: concede-se o aumento, só que escondido. E como vingança diante das críticas o aumento será ainda maior. A consulta às bases é ainda mais ridícula. Quem é a base do deputado? 95% foram eleitos pelos votos de sua legenda e muitos deles possuem um pequeno número de eleitores que não se consegue nem precisar de onde são. Mais uma vergonha patrocinada por nossos gloriosos representantes. A solução? O voto. Mas querer que nossa população oprimida pelo obscurantismo intelectual consiga votar com consciência é ainda um sonho muito distante.

Nenhum comentário: