segunda-feira, maio 14, 2007

Livros: consuma com moderação

Do blog do Reinaldo Azevedo:

Vocês se lembram: apontei aqui o seu desconforto diante do papa. Ele não conseguiu ser a estrela da festa. E isso lhe é inaceitável. A sua obsessão em desmerecer FHC é uma evidência desse traço de personalidade. Observem que, quando ele se refere ao antecessor, não se limita a dizer que seu governo é melhor. Ele também costuma atacar as qualidades intelectuais do outro, que seriam insuficientes para responder à realidade. Lula acredita, firmemente, que ele sabe mais porque leu menos. Lula acredita que estudo faz mal à saúde. "Livros: consuma com moderação".

Outro dia estava conversando nos corredores da PG justamente sobre isso. Não é vergonha para ninguém a própria ignorância, o problema é começar a se vangloriar dela. Mas não tinha ainda me atinado para os que fazem pouco dos que procuram sair das trevas. Estamos retrocedendo vertiginosamente no Brasil, está surgindo a cultura da ignorância.

O exemplo vem, entre outros, do próprio presidente. Para não ficar só no atual, lembro de Costa e Silva que se vangloriava de não ler livros, apenas fazer palavras cruzadas.

Diante do papa, Luis II ficou visivelmente constrangido. Diante dele estava um homem de 80 anos que passou a vida inteira estudando e se preparando para o cargo que hoje ocupa. Pois nosso monarca nunca fez nem uma coisa nem outra. E se orgulha disso.

Só falta uma campanha publicitária alertando para os perigos da leitura...

Nenhum comentário: