quinta-feira, maio 03, 2007

Mais sobre o vexame

Juninho

Durante o intervalo, no vestiário do vexame rubro-negro em Montevidéu, o apoiador Juninho discutiu asperamente com Ney Franco ao saber que seria substituído. Acho que falta ao jogador um espelho. O futebol que apresentou ontem foi no padrão do time, nulo. O gramado ruim era especialmente ruim para ele, acostumado a correr com a bola. Não deveria nem ter sido escalado para esta partida. Mas o treinador do Flamengo se deixou emparedar e acabou escalando-o. As notícias são que Clayton, outro que não vem jogando rigorosamente nada, também está insatisfeito. É bom a diretoria intervir. De preferência afastando os dois, que pela experiência deveriam dar o exemplo.

Torcedores

Ao embarcar para o Brasil a equipe foi hostilizada por torcedores no aeroporto. Marcelo Barreto resumiu bem no redação Sportv de hoje. Bem feito para quem pagou a passagem deles. Vendo as imagens é realmente difícil de acreditar que qualquer um deles tenha pago do próprio bolso para ir assistir o jogo do Flamengo. O dia em que os clubes brasileiros pararem de patrocinar torcedores será um bom caminho para o fim da violência nos estádios.

Bruno

O goleiro do Flamengo poderia ter saído como o melhor jogador do time, mas aderiu à violência gratuita que anda sendo praticada pelos gramados sul-americanos. Já não mais levantam o joelho nas saídas de bola, agora levantam o pé com o intuito claro de acertar o adversário e intimidá-los. O argumento é estão se defendendo. Não estão. Estão agredindo covardemente atacantes adversários com complacências dos sopradores de apito, para usar a expressão de Fernando Calazans. Acertou o juiz de Boca e Velez ao expulsar o goleiro do último. Deveria ter saido preso. Errou os árbitros que não expulsaram Fábio Costa no domingo e Bruno ontem. No primeiro caso pelo menos se marcou o penalti. No segundo nem isso.

Previsão

Diante do que vi não vejo as menores condições, que não seja a fé e a esperança, para acreditar que o Flamengo conquiste o título carioca diante da boa equipe botafoguense. Na quinta o rubro-negro amanhece vice-campeão, eliminado da Copa do Brasil, sem técnico, em crise e as portas da estréia no Brasileiro. Perspectiva: ficar na primeira divisão ano que vem. E é bom começar a correr.

2 comentários:

Anônimo disse...

Parece que o problema em Montevidéu foi uma solidariedade dos jogadores ao Claiton por ter sido barrado. Os jogadores se uniram e resolveram fazer como Claiton: não jogaram nada!!

Marcos Guerson disse...

Não se preocupe muito. Domingo é outra coisa. Os resultados de Botafogo contra o Flamengo são imprevisíveis.