quarta-feira, junho 13, 2007

Os Cinco Porquinhos

Five Littel Pigs, 1947
Agatha Christie

Estou relendo os livros de Agatha Christie aos poucos. Foi através dela que me iniciei na literatura, da idade dos 13 aos 16 devorei todos os livros desta magistral autora inglesa que apareceram na minha frente. Os crimes engenhosos me atraiam, e tentava, em vão, descobrir os culpados. Estava nítido para mim que eram estórias policiais.

Hoje vejo que seus livros iam além desse rótulo. Agatha Chriestie retratava com profunda sensibilidade a alma humana e seus dramas. Por baixo do pano dos assassinatos, narrados com maestria, percebe-se sentimentos vivos de angústia, inveja, amor, desejo, cobiça, ciúmes.

Em Os Cinco Porquinhos, Hercule Poirot é procurada por uma jovem que está prestes a se casar. Ela descobre que é filha de um famoso pintor, assassinado 16 anos atrás. Sua mão foi condenada pelo crime e morreu na cadeia, sem procurar se defender da acusação. Deixou, no entanto, uma carta para a filha em que afirmava sua inocência.

A jovem Carla tinha 5 anos quando ocorreu o crime e pouco lembra da mães. Mas de alguma forma um sentimento forte ainda a liga à sua memória. Ela acredita na carta, e quer que Poirot descubra o que realmente aconteceu.

Poirot inicia sua investigação que se resume em entrevistar, inicialmente a parte jurídica do caso __ advogados, promotores e policiais __ e depois as 5 testemunhas dos acontecimentos. Pois estas 5 testemunhas fazem um retrato fascinante dos dias que antecederam a morte de Amyas Crale. É uma viagem à personalidade do casal e das cinco pessoas que conviveram com eles.

As diferenças, por vezes sutis, por vezes nem tanto, que cada um tem dos acontecimentos e das pessoas envolvidas é um alerta para a forma como as pessoas percebem o mesmo fato sobre diferentes perspectivas. E que nem tudo é óbvio como se imagina.

Tudo gira em torno do adultério praticado por Amyas, um pintor que não conseguia resistir a um romance, o que gerava constantes brigas com a esposa. Ao fina, no entanto, a paixão desaparecia e retornava à normalidade da vida de casado. Na época de sua morte pintava uma jovem e chegou a anunciar que se divorciaria para casar com ela, gerando profundo desespero na esposa e afetando a todos.

Uma obra maravilhosa, que foge um pouco dos finais convencionais da própria literatura de Agatha Christie, mas deixa claro como a autora via o mundo a que pertencia.

Um comentário:

Jhonata teixeirão disse...

Realmente Agatha christie é uma excepcional autora,privilegiados são os que tiveram a oportunidade de lerem suas obras.. enfim nunca li OS CINCO PORQUINHOS.. deve ser sensacional.. li somente dois livros dela O CASO DOS DEZ NEGRINHOS e UM DESTINO IGNORADO... me facinaram.. os outros devem ser mais incriveis ainda..
Esse blog esta de parabéns...