terça-feira, setembro 25, 2007

A Importância dos detalhes

Frase da semana do nosso presidente:
"Não acredito que haja qualquer prova de que Dirceu cometeu o crime de que é acusado".

Quem lê a frase sem muita atenção entende que Lula prega a inocência do companheiro e braço direito durante a primeira metade de seu primeiro mandato. Quem lê com atenção entende que em nenhum momento o presidente diz que Dirceu não cometeu o crime que é acusado, mas que acredita que não haja qualquer prova contra ele.

É bem diferente o sentido. É como se dissesse: sei que Dirceu cometeu um crime, mas tenho dúvidas se existem provas à este respeito e, portanto, deve ser absolvido. Foi o mesmo teor da mensagem no congresso do PT. E o próprio José Dirceu nunca se declarou inocente, apenas afirmou várias vezes que não existiam provas de sua participação. Vale lembrar que durante a CPI soltou uma das frases mais interessantes do processo: "estou cada vez mais convencido da minha inocência".

O petismo é uma ideologia, e como tal não se confronta com a verdade. Pode aparecer uma gravação com Dirceu distribuindo o produto do roubo, vão negar que seja prova. Basta ver o mensalão: existe assinatura de parlamentares, com recibo e tudo. Mas o que foi dito no congresso do PT? Que o mensalão não foi provado. O tesoureiro do partido confessou que distribuiu dinheiro à base aliada. Mais uma vez afirmou-se que não existem provas. A tese de defesa beira ao escárnio: a presença de petistas nas listas de recebimento, com assinaturas e tudo, prova que não houve mensalão. Afinal, por que pagariam aos próprios petistas para votar pelo governo? Pura delinqüência intelectual.

Quem quiser se abraçar com esta gente que não se faça de rogado. No futuro não vai adiantar dizer que se enganou; será tarde. E mais, todas as evidências estavam escancaradas; só não vê quem realmente não quer.

Um comentário:

Blogildo disse...

Essa é a grande malandragem da esquerda: Se não há provas é sinal que não existe ou não aconteceu. É impressionante a cara-de-pau desses indivíduos. E quando as provas surgem, o que acontece? NEGAM até a morte!