segunda-feira, outubro 22, 2007

Räikkönen: um título em boas mãos


Depois de tudo que se viu neste estranho campeonato marcado pela espionagem industrial da MacLaren, acho que o título ficou em boas mãos. A Ferrari se comportou realmente como uma equipe ao longo do ano, enquanto que a equipe inglesa resolver jogar suas fichas na divisão interna e favorecer, principalmente na segunda metade do campeonato, seu piloto preferido em detrimento ao atual bicampeão mundial.

O que achei mais estranho na prova de ontem não foram os erros de Hamilton, pois são próprios da essência do esporte. Mas, sim, a diferença de 50 segundos entre o finlandês e Alonso. Principalmente porque Hamilton, a despeito das bobagens, voava na pista. Como pode, logo na prova decisiva do campeonato, o carro do espanhol render tão pouco?

Fico com a sensação que a MacLaren não contava, nem por um momento, que Hamilton ficasse fora das 5 primeiras posições e tratou de lutar contra Alonso, o único que considerava em condições de levar o campeonato que estava nas mãos de Hamilton.

O resultado foi o que se viu: o inglês errou, errou novamente e ficou sem chances de disputar o título. E Alonso, estranhamente (?), estava sem condições de acompanhar.

Outra hipótese, um pouco mais remota, é o próprio espanhol ter sabotado seu próprio título. Difícil? Claro. Impossível? Nunca duvide de um campeão ferido em seu orgulho pela própria equipe.

No fim, o que ficou mais evidente, era que dos 3 pilotos que subiram ao pódio, Alonso parecia o mais feliz de todos. Até mesmo que o campeão. E suas entrevistas ao término da temporada mostram um homem ferido, mas aliviado; um homem de alma lavada.

Nenhum comentário: