sábado, novembro 10, 2007

Para ficar na história

Impagável a atitude do rei da Espanha de mandar o bufão Hugo Chávez, atual heróis de boa parte dos universitários brasileiros, calar a boca em encontro íbero-americano no Chile. E ainda abandonou a reunião em protesto contra as críticas do venezuelano ao ex-primeiro-ministro espanhol, José María Aznar.

José Luis Rodríguez-Zapatero, atual primeiro-ministro, ainda engrossou mais ainda. Embora seja adversário político de Aznar, lembrou que estava na reunião como representante de seu povo, assim como seu antecessor. A democracia permite o contraditório, a discordância, mas sem a falta de respeito.

O mais curioso foi Chávez balbuciando que tinha direito de livre opinar. Esse é um direito que existe na democracia, e dentro de limites de civilidade. Tudo que não existe no estado socialista que está implantando eu seu país. Os estudantes venezuelanos estão experimentando o "direito de opinar".

A história do socialismo mostra que toda nação socialista construiu-se a base de um discurso democrático, mas esmagando-a. Em nome da liberdade, se elimina a liberdade. Democracia e socialismo não convivem, são incompatíveis.

Por isso é curioso ver criador do tal socialismo do século XXI, que de novo não tem nada, defender seu direito de falar livremente. Justamente o direito que está removendo de seu povo. É a história dando mais uma volta e saindo no mesmo lugar. Lamentável.

Um comentário:

Alexandra disse...

Reação dos leitores de um jornal espanhol:
http://tinyurl.com/2yryj7