segunda-feira, dezembro 03, 2007

Fim do Brasileirão 2007

Como esperado, a grande emoção da última rodada foi a briga contra o rebaixamento. Estava envolvido o segundo time mais popular do país, o Corinthians, que acabou pagando o preço de todos os erros que cometeu nos últimos anos.

Muita choradeira contra a decisão da arbitragem de mandar voltar o penalti cobrado por Paulo Bayer, no jogo do Goiás, duas vezes. A reclamação não tem fundamento, se o atacante demorasse mais um segundo para cobrar, levava um carrinho de Clemer. O goleiro colorado adiantou muito, e se tivesse defendido a terceira cobrança, teria que voltar novamente, pois estava quase na linha da pequena área quando Elson decretou a vitória do time da casa.

A verdade é que o Goiás teve a sorte de enfrentar, na última rodada, um time que não disputava mais nada no campeonato, o Inter. O Corinthians enfrentava um que disputava ainda a Libertadores. Mas nem disso o timão pode reclamar. Os resultados no intervalo tiravam qualquer chance do Grêmio sequer sonhar com a vaga; no segundo tempo o time não jogou. E o Corinthians foi incapaz de se aproveitar da apatia tricolor.

Na parte de cima, o Cruzeiro ganhou a vaga que tentou jogar pela janela de tudo quanto foi jeito, graças ao Palmeiras, que perdeu em casa para o Atlético, em uma atuação inexplicavelmente sem qualquer vibração. Parecia que estavam mais preocupados em ver o rival afundar no Olímpico.

O Flamengo terminou em terceiro, contentando sua supersticiosa torcida que não gosta de vice-campeonatos, coisa de vascaíno.

O campeonato terminou com recorde de público desde a implantação do sistema de pontos corridos, mesmo com o campeão definido com muita antecedência. Na última rodada eram raros os times que não precisavam de resultados, mostrando que essa estória de tradição por mata-mata é conversa. Basta uma disputa justa, sem cartolagem, que o público comparece. Mesmo com o time lá embaixo da tabela.

Nenhum comentário: