quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Despedidas

Ontem finalmente caiu a ficha. Terminou meu curso de mestrado; estes dois anos agora fazem parte da minha história pessoal.

Já era mais de cinco horas quando coloquei meus últimos pertences da minha bolsa. O corredor da PG estava vazio, os poucos que andaram por lã naquele dia já haviam partido. Olhei para minha mesa, companheira do último ano, e me toquei que não mais sentaria naquela cadeira, que aquela baia __ como chamamos nossas saletas de estudo __ já não era minha.

É interessante como o fato de ser o último a sair aumenta ainda mais o sentimento de adeus. Apaguei as luzes, fechei as portas e quando passei a chave na do corredor dei uma última olhada para a PG de transportes. Terminara. Não digo enfim porque nunca foi um tormento, um suplício; pelo contrário, aproveitei cada instante do curso.

Os dois anos que passei ali foram dos melhores de minha vida. Cresci muito ali dentro, não me reconheço mais na pessoa que iniciou o curso. Muita coisa aconteceu neste período, principalmente no minha intimidade. E é nela que reside nossa maior transformação, sempre.

Ficará sempre as saudades de tudo que vivi neste corredor: o convívio com meus colegas; as conversas com os professores; a rotina de estudo; nossos pequenos conflitos. A todos estes personagens, e ao próprio IME, a quem chamo de minha casa, sempre, fica minha eterna gratidão. Aprendi muito com todos eles, amadureci com eles.

Ao fechar as portas, já com as luzes apagadas só me resta sorrir, dizer adeus, e ir em frente. Afinal, como cantava Freddy Mercury, the show must go on....

Nenhum comentário: