sexta-feira, fevereiro 22, 2008

No soro

Andei sumido mesmo. Na verdade passei os últimos dois dias no hospital, tomando buscopan na veia e soro. Ao que parece tenho o que se chama Síndrome do Intestino Irritável. O dito cujo não gosta de trabalhar direito, e vai acumulando gases e fezes. O resultado é uma dor violenta, daquelas de mudar até a cor do indivíduo.

Engraçado que no meio de exames de emergência, tirando sangue, raio-x, coletando urina, senti-me no meio do seriado House. Era a procura pelo diagnóstico. O mais difícil foi colocar o avental para andar na ala do raio-x, não me dei muito bem com o "sistema" de amarração. He he he.

Amanhã tenho uma tomografia para afastar a possibilidade de ser algo cirúrgico. O mais provável é que tenha que entrar em uma dieta com muita fibra e tomar alguns reguladores de intestino.

É uma sensação indescritível ficar sem dor após passar por horas em que ela foi intensa. Só entendemos a importância de não ter dor diante de sua realidade; talvez esteja aí um dos sentidos para sua existência. Segundo Yepes, a dor existe para lembrar-nos de nossa finitude, de nossos limites. Somos humanos, não temos poderes absolutos como alguns tentam acreditar.

Alguns defendem que a dor é prova da inexistência de Deus. Argumentam que se ele existisse e fosse perfeito não deixaria que nós sofrêssemos. Tenho uma filha de 4 anos, quando aprendeu a andar levou vários tombos, alguns doeram bastante. Deveria eu deixá-la eternamente sem andar para evitar a dor? Seria meu amor menor por causa disso?

Acredito que o amor de Deus não é enfraquecido por nossas dores. Tudo na vida existe um sentido, nem sempre compreensível para nós. Tentar analisar tudo que acontece pelos limites da razão me parece temerário, a razão não é absoluta. Existem coisas que lhe são fora do campo de ação, coisas além desse mundo.

Não existe homem sem a dor, ela é uma realidade de nossa existência. Não quer dizer que tenhamos que sofrê-la o tempo todo, mas que devemos sempre encará-la como um aviso: nossa vida tem limites.

2 comentários:

guerson disse...

Eu tinha isso. Só que no meu caso, além da dor ocasional, eu tinha diarreia... No meu caso era relacionado com stress; depois que a Adrienne se mudou eu não tenho mais quase nada. Morar com adolescente não é fácil ;)

Uma amiga minha toma muito iogurte tipo o Activia da Danone (http://www.danone.ca/en/products/activia.aspx)
Ela diz que controla bem a IBS (a sigla aqui - Irritable Bowels Syndrome) dela.

Experimenta trocar todos os grãos refinados por grão integral - arroz, macarrão, pão, etc... E 2 litros de agua por dia...

guerson disse...

PS: eu acho tambem que a dor existe para nos lembrar do quão bom é viver sem ela. Essa é a teoria do Alan, que quando está down - algo raro, mas que acontece - diz que é pra ele valorizar quando está up... ;)