segunda-feira, março 24, 2008

A Felicidade não se Compra

It´s a Wonderful Life (1946)

Direção: Frank Capra
Roteiro: Philip Van Doren Stern, Frances Goodrich
Elenco: James Stewart (George Bailey),Thomas Mitchell (Tio Billy), Donna Reed(Mary Hatch Bailey, Lionel Barrymore (Sr. Potter), Henry Travers (Clarence)



Sinopse:

Em Bedford Falls, no Natal, George Bailey (James Stewart), que sempre ajudou a todos, pensa em se suicidar saltando de uma ponte, em razão das maquinações de Henry Potter (Lionel Barrymore), o homem mais rico da região. Mas tantas pessoas oram por ele que Clarence (Henry Travers), um anjo que espera há 220 anos para ganhar asas, é mandado à Terra, para tentar fazer George mudar de idéia, demonstrando sua importância através de flashbacks. (Fonte: www.adorocinema.com.br)

Comento:


É inegavelmente uma das estórias mais belas já contada no cinema. Um filme edificante, que nos faz pensar muito sobre o sentido de muitas coisas que passamos na vida e refletir sobre nossos conceitos de felicidade.

George Bailey é um homem que nunca se conformou com o abandono de seus sonhos. Devido ao bom coração e seu senso de responsabilidade coloca os interesses das pessoas acima do seu. Seria um tipo de personagem comum no cinema, o bonzinho, mas Capra foge do estereotipo. George não se conforma e luta contra seus próprios bons instintos o tempo todo; gostaria de ser capaz de recusar este papel, mas não pode.

Uma das mais belas cenas do filme é quando trata Mary de forma cruel ao encontrá-la pela primeira vez após o baile de formatura do irmão. Devido a morte do pai, tinha deixado sua vaga na universidade para este, passando a tocar os negócios da família. Harry retorna casado e o sogro lhe fez uma proposta excelente para trabalhar em pesquisa. Harry garante que cumprirá sua parte no acordo pois sente-se em dívida com o irmão mais velho. George sabe que abrirá mão desta dívida e começa a se revoltar.

Mais tarde trata Mary de modo cruel; mais do que descontar sua raiva, sabe que ligar sua vida à dela é ligar-se para sempre à pequena cidade que odeia. Um telefonema o obriga a ficar perto da moça e não consegue se conter, seu amor por ela é maior do que seu sonho de partida. A agonia que mostra ao tentar resistir a este amor é comovente.

Sua caminhada não é fácil. Não são as dificuldades que o atingem, mas justamente o contrário, as diversas possibilidades que são lhe colocadas para trocar seu destino por seu sonho. Primeiro através de um amigo de infância que usa sua idéia e fica milionário, depois por uma proposta aparentemente irrecusável de Mr Potter. Recusa as duas, mas a angústia de ter passado estas oportunidades o persegue.

A despeito de toda sua capacidade e bem que fez ao longo da vida, encontra-se na véspera de natal diante da falência e a ameaça de prisão. Um seguro de vida no bolso lhe mostra a salvação, vale mais morto do que vivo. Em uma noite em que tudo dá errado e encontra-se em completo desespero é visitado por um anjo que lhe mostra o que seria do mundo a sua volta se nunca tivesse nascido.

Algumas situações são óbvias. Quando garoto salvo a vida do irmão, o que lhe custou a audição de um ouvido. Sem ele, Harry teria morrido aos 9 anos de idade e pior, toda tripulação de um navio transporte na II Guerra teria perecido pois o irmão não estaria lá para abater o kamikase inimigo. Mary seria um biblioteca solterona, a cidade estaria transformada sob comando do inescrupuloso sr Potter, as pessoas que ajudara com sua firma de construção e empréstimos estariam morando em barracos.

A situação mais interessante é a do barman Nick. Sem ele no mundo Nick torna-se dono do bar, o que poderia mostrar uma pessoa que ficou melhor sem sua existência. Mas é um Nick mudado, insensível, cruel. Não é apenas através dos atos que ajudara as pessoas, mas também por seu exemplo. Pessoas se tornaram melhores pela convivência com ele. O anjo Clarence diz a grande frase do filme: não sabemos até que ponto nossos pequenos atos tocam as pessoas. Quando somos retirados o que surge é um buraco na existência de cada uma delas.

George compreende que a felicidade já estava a alcance de sua mão, faltava-lhe entendê-la. Volta para casa radiante, já não lhe importa a falência, mesmo a prisão. Só quer ficar com sua família, partilhar sua alegria.

Então Capra dá seu último toque na sua obra. Nada do que George fez foi perdido, semeou amigos. Amigos que estavam prontos a se sacrificar por aquele que por eles abrira mão de seus sonhos. Quem possui amigos verdadeiros possui a chave para a felicidade.

Li em algum lugar que este filme fez mais pelas pessoas desesperadas do que todos os CVVs juntos. Pode ser exagero, quem vai saber? O fato é que trata-se de um filme belíssimo com mensagens sublimes. Sem dúvida um dos mais belos já filmados.

Nota 10


Quotes:

George Bailey: Just a minute - just a minute. Now, hold on, Mr. Potter. You're right when you say my father was no businessman. I know that. Why he ever started this cheap, penny-ante Building and Loan, I'll never know. But neither you nor anyone else can say anything against his character, because his whole life was - why, in the twenty-five years since he and Uncle Billy started this thing, he never once thought of himself. Isn't that right, Uncle Billy? He didn't save enough money to send Harry to school, let alone me. But he did help a few people get out of your slums, Mr. Potter, and what's wrong with that? Why - here, you're all businessmen here. Doesn't it make them better citizens? Doesn't it make them better customers? You - you said - what'd you say a minute ago? They had to wait and save their money before they even ought to think of a decent home. Wait? Wait for what? Until their children grow up and leave them? Until they're so old and broken down that they... Do you know how long it takes a working man to save five thousand dollars? Just remember this, Mr. Potter, that this rabble you're talking about... they do most of the working and paying and living and dying in this community. Well, is it too much to have them work and pay and live and die in a couple of decent rooms and a bath? Anyway, my father didn't think so. People were human beings to him. But to you, a warped, frustrated old man, they're cattle. Well, in my book he died a much richer man than you'll ever be.

Nick: [ringing the cash register repeatedly] Get me. I'm givin' out wings.

[George has discovered his brother Harry's tombstone]
Clarence: [explaining] Your brother, Harry Bailey, broke through the ice and was drowned at the age of nine.
George Bailey: That's a lie! Harry Bailey went to war - he got the Congressional Medal of Honor, he saved the lives of every man on that transport.
Clarence: Every man on that transport died! Harry wasn't there to save them, because you weren't there to save Harry.

Clarence: Strange, isn't it? Each man's life touches so many other lives. When he isn't around he leaves an awful hole, doesn't he?

Man on Porch: Why don't you kiss her instead of talking her to death?
George Bailey: You want me to kiss her, huh?
Man on Porch: Ah, youth is wasted on the wrong people.

George Bailey: Isn't it wonderful? I'm going to jail!

Clarence: Ohh, there must be some easier way for me to get my wings.

George Bailey: Now, you listen to me! I don't want any plastics, and I don't want any ground floors, and I don't want to get married - ever - to anyone! You understand that? I want to do what I want to do. And you're... and you're...
[runs out of words, sees her crying]
George Bailey: Oh, Mary, Mary...
Mary: George... George... George...
George Bailey: [kisses her intensely] Mary... Would you?... Would you?...

George Bailey: [the staff celebrates closing the building and loan company with only two dollars remaining, to stay in business] Get a tray for these two great big important simoleans here.
Uncle Billy: We'll save 'em for seed.
George Bailey: A toast! A toast! A toast to Mama Dollar and to Papa Dollar, and if you want to keep this old Building and Loan in business, you better have a family real quick.
Cousin Tilly: I wish they were rabbits.

Nenhum comentário: