sábado, março 15, 2008

O menino do pijama listrado


John Boyne (2006)


"Bruno pôs o rosto junto ao vidro e olhou o que estava do lado de fora, e desta vez quando seus olhos se arregalaram e a boca fez o formato de um O, as mãos ficaram bem juntas ao corpo, porque havia algo que o fez se sentir muito inseguro e com frio."

Existem livros que ao serem recomendados não pode se contar a estória. Não se trata de enganar o amigo, mas de preservar o sentimento de descoberta e lembrança que a obra trás. Este é o caso de O menino do pijama listrado. Quanto menos souber sobre o enredo melhor, acredite.

É um livro que dá muito o que pensar. É impressionante como uma coisa se liga à outra. Na quinta feira ouvi alguém dizer "o esquecimento é uma forma de traição." Tem tudo a ver com o que li. Existem certas coisas que devem ser constantemente relembradas, por mais dolorosas que sejam. Temos que saber até que ponto pode ir um homem contra seu semelhante.

Boyne apresenta um quadro inicialmente típico de uma família como qualquer outra, tudo sob a ótica de um menino de 9 anos. Tudo é visto por seus olhos e assim vamos recebendo peça por peça um quebra cabeças que vais mostrando a realidade do que estava presenciando. A cada capítulo vê mais um pouco, mas não compreende, nem pode, a inocência pode ser uma defesa contra o horror, mesmo que o custo seja altíssimo.

Não posso falar mais nada sobre o livro, apenas aconselho. Leiam. Não há como arrepender.

2 comentários:

Anônimo disse...

o menino do pijama listrado e um otimo inicio para um leigo no assunto holocausto. ate porque nao se narra explicitamente os sofrimentos dos prisioneiros,e simplesmente emocionante,e surpriendentemente inocente,eu recomendo que leiam

Anônimo disse...

Eu li pouco tempo o livro O Menino do Pijama Listrado e é uma boa leitura que nos fazem voltar nos maus tratos da segunda guerra que tirou muitas vidas e não só dos judeus e para relembrar e não repetir essa barbaridade que foi mudialmente conhecido.