quinta-feira, abril 24, 2008

Libertadores: Hora de verdade


O Flamengo precisou de um gol de falta do goleiro Bruno para garantir a primeira colocação do grupo e a segunda geral. Obina ainda ampliou no fim, quando o jogo estava decidido. Mas foi a derrota do Audax que complicou a vida do Flamengo e o colocou para jogar no México na semana que vem.

É bom que a diretoria tenha aprendido com a semi-final da Taça Rio. Não dá para vencer os dois confrontos, Botafogo e América, com o mesmo time. Vai ser necessário usar o elenco, não é para isso que ele foi construído? Ainda mais porque o Botafogo não joga na semana que vem.

O melhor seria fazer um revezamento. O goleiro e a zaga podem ser mantidos para os dois confrontos sem muitos problemas. Os laterais devem ser revezados, de preferência não os dois de uma vez. Pode jogar Leo Moura e Egídio no domingo, Juan e Luiziho na quarta, ou vice-versa. Dois ataques também podem jogar. Souza e Renato Augusto em uma partida, Marcinho e Obina na outra, e assim por diante. O importante é compreender que não dá para optar para usar o mesmo time nos quatro jogos.

Por causa do desastre do Audax, o Flamengo só poderia escapar do América pegando o São Paulo. Por pior que seja jogar no México, o tricolor deve ser sempre respeitado, apesar das partidas horrorosas que vem fazendo. Não dava para escolher resultado, o time fez bem em ganhar a partida.

Agora entendi porque existe um sorteio na Copa dos Campeões para o mata-mata. Uma das piores coisas no futebol e ficar em uma situação em que perder pode ser melhor do que vencer, isto mata o esporte. Não deveria ter isso. Acabava a fase de grupos e sorteavam-se os confrontos. Não dá para saber quem foi o melhor quando os clubes jogam em grupos diferentes, a colocação geral se transforma em uma grande bobagem.

Nenhum comentário: