sábado, abril 12, 2008

Passado, presente, futuro

Quem controla o passado controla o futuro; quem controla o presente controla o passado.


Uma das grandes questões que Orwell levanta em 1984 era a obsessão do Partido em controlar todos os registros do passado. O personagem principal do livro, Winston Smith, trabalhava alterando registros passados na minúcia. Se o Grande Irmão afirmava que haveria um aumento na produção agrícola de 2% e fosse 1,9% o registro era alterado para mostrar que acertou a previsão no detalhe.

O Stalinismo mostrou esta preocupação quando o ditador soviético "varreu" da história da revolução a participação de Trotsky, dando ao colega carniceiro uma participação bem menor do que a realidade.

Por que? Por que esta preocupação com o passado?

O inquisitor responde ao pobre Smith. A chave para o controle do futuro, ou seja da perpetuação no poder, era convencer o povo que a situação nunca tinha sido tão boa. Para isso era preciso eliminar qualquer comparação possível de modo que a realidade fosse entendida como a melhor forma possível. Era preciso que o mundo antes da revolução fosse não só esquecido, mas alterado de moto a reforçar a crença que o presente era uma conquista da sociedade.

Nenhum comentário: