segunda-feira, maio 05, 2008

30 vezes Flamengo

Bi-Campeão Carioca (2007/2008)

O Flamengo entrou para segurar o resultado e poupar forças. Joel deixou Kléberson, que não vinha jogando bem, no banco e promoveu a entrada de Jailton para fechar o meio campo e jogar no contra-ataque.

Quase deu certo não fosse o gol incrível perdido por Íbson e o frango mais incrível ainda de Bruno. Discordo dos que defendem que o Botafogo foi superior no primeiro tempo. Teve mais posse de bola porque essa foi a tática planejada por Joel. Tivesse a bola de Íbson entrado e Bruno não falhado, o time iria para o intervalo ganhando e o treinador chamado de gênio.

Para os que o chamavam de retranqueiro, a resposta veio no segundo tempo. Armou o time com 4 atacantes, dois recuados como armadores, e partiu para cima para matar ou morrer. A esperteza de Joel se mostrou também na questão do revezamento de jogadores. Os dois que saíram, Cristian e Íbson, tinham jogado os 180 minutos dos jogos contra o Botafogo e América. Os dois que entraram, Obina e Tardeli, apenas meio tempo em cada jogo. Tirando a zaga e o goleiro, ninguém jogou o tempo todo das três partidas.

Com o time mais vulnerável, aumentou a importância de Toró e Jailton, que forma dois monstros nas roubadas de bola e preenchimento de espaços. Não foi por acaso que Joel poupou o primeiro do jogo de quarta.

O gol de Obina, no início da etapa complementar, foi fundamental pois colocou a responsabilidade no campo do Botafogo. Inexplicavelmente, o alvinegro se perdeu em campo, e desta vez não dá nem para culpar a arbitragem.

A expulsão de Renato Silva tornou a situação mais fácil e o gol de Tardelli definiu o título. Obina ainda fez mais um para carimbar a faixa.

Um título que deve muito ao trabalho de Joel e à diretoria que conseguiu montar um elenco que deu ao treinador opções para poder mudar o rumo de uma partida. Elenco que faltou ao Botafogo que teve que jogar o segundo tempo com seu principal atacante mancando.

Por fim, a torcida foi incansável, apesar de ter pisado na bola ao vaiar Íbson ainda no primeiro tempo. Tem jogado muito pouco este ano, é verdade, mas não era hora de afundá-lo ainda mais; em decisão de campeonato é preciso apoiar, sempre.

Nenhum comentário: