domingo, maio 11, 2008

A Malvada


All About Eve(1950)

Sinopse:

Na noite de entrega do prêmio Sarah Siddons, todas as atenções se voltam para Eve Harrington (Anne Baxter). Utilizando o flashback, a vida de Eve é revelada, desde quando conheceu e foi contratada como secretária de Margo Channing (Bette Davis), uma grande estrela da Broadway, até ela mesma alcançar o estrelato.


Addison DeWitt: [voiceover] Margo Channing is a star of the theater. She made her stage debut at the age of four in "Midsummer Night's Dream," playing a fairy. She entered, quite unexpectedly, stark naked. She has been a star ever since.


Assistir A Malvada é uma experiência e tanto para quem quer penetrar nos mistérios da alma humana. É um filme universalista, trata basicamente do ser humano e o que é capaz de fazer na busca pelo sucesso.

Neste filme arte e realidade se confundem a todo o instante mostrando como estes dois campos da existência se sobrepõem. Magot é uma grande atriz, vive nos palcos e já se aproxima dos 40 anos. Não possui uma vida, tudo que sabe é ser uma estrela e sua atuação transcende do palco para o grande teatro que transformou sua existência.


Bill Sampson: The Theatuh, the Theatuh - what book of rules says the Theater exists only within some ugly buildings crowded into one square mile of New York City? Or London, Paris or Vienna? Listen, junior. And learn. Want to know what the Theater is? A flea circus. Also opera. Also rodeos, carnivals, ballets, Indian tribal dances, Punch and Judy, a one-man band - all Theater. Wherever there's magic and make-believe and an audience - there's Theater. Donald Duck, Ibsen, and The Lone Ranger, Sarah Bernhardt, Poodles Hanneford, Lunt and Fontanne, Betty Grable, Rex and Wild, and Eleanora Duse. You don't understand them all, you don't like them all, why should you? The Theater's for everybody - you included, but not exclusively - so don't approve or disapprove. It may not be your Theater, but it's Theater of somebody, somewhere.


Eve deseja para ela o papel de Margot, tanto nos palcos quanto na vida. Sua ambição é o motor de sua existência, a fonte que lhe dá forçar para fazer o que for preciso para atingir seu objetivo.

O título em português é uma grande bobagem pois nos faz ficar na expectativa de ver a malvada da estória, que em primeiro momento parece ser Margot.

E Margot faz tudo para assumir este papel. É temperamental, por vezes rude, capaz de atingir seus amigos mais próximos e profundamente insegura. Entrando nos 40 anos, em profunda crise existencial, depara-se com uma jovem humilde que cativa a todos a começar por ela.

Quando é surpreendida no meio da noite com um telefonema que Eve teria pedido para dar parabéns a seu namorado, que estava em Holywood, seu alerta apita. Aqui entra as mulheres. Quantas vezes elas não se antecipam a todos e sem uma explicação razoável colocam-se em situação de alerta diante de uma pessoa ou situação?

Birdie, sua camareira é sua confidente e acima de tudo sua consciência. Como Margot não deseja aceitar que Eve não seja o que todos pensam resolve pedir a ela uma opinião sincera sobre a moça. Birdie pergunta se quer a realidade ou brigar com ela.

Margo Channing: Birdie, you don't like Eve, do you?
Birdie: You looking for an answer or an argument?
Margo Channing: An answer.
Birdie: No.
Margo Channing: Why not?
Birdie: Now you want an argument.


É nossa consciência nos perguntando se realmente queremos saber de alguma coisa. A camareira não gosta de Eve, Margot se irrita e discutem. A briga não é com Birdie, mas com si própria para aceitar uma idéias que a própria razão refuta. É o processo de conhecimento da verdade que os antigos tanto alardearam.

Na festa de aniversário de Bill, que retorna da Califórnia, Margot se convence. A forma como expressa esse convencimento é genial. Em discussão com Bill usa os mesmos argumentos de Birdie sobre Eve para tentar mostrá-lo a verdadeira natureza da moça. Mais do que convencê-lo, ela convence a si mesma.

Bill Sampson: Have you no human consideration?
Margo Channing: Show me a human, and I might have!


Nesta festa vemos o pior de Margot. Bêbada, incoveniente, mordaz, ofendendo tudo e a todos; Eve é seu oposto, humilde, delicada, desprotegida. Até este momento nada aparece para desabonar a jovem. Ao final da festa ela pede a Kate um favor e a audiência começa a perceber que Eve não é bem o que aparenta.

Outro grande momento do filme é quando Margot confronta Bill novamente após Eve aparecer como atriz em um teste de elenco. É o término de um processo de autodestruição.

Lloyd Richards: I shall never understand the weird process by which a body with a voice suddenly fancies itself as a mind. Just when exactly does an actress decide they're HER words she's speaking and HER thoughts she's expressing?
Margo Channing: Usually at the point where she has to rewrite and rethink them, to keep the audience from leaving the theatre!


Margot está desesperada pois está diante do próprio vazio que é sua vida. Não consegue mais distinguir entre o palco e a realidade, não sabe mais quem é. Bill ainda argumenta que não sabe nada sobre Eve, mas que conhece Margot.

Margo Channing: So many people know me. I wish I did. I wish someone would tell me about me.


A verdadeira face de Eve aparece pela primeira vez no camarim, após substituir Margot, em cena com Bill. Não é mais uma criatura indefesa, nunca foi, deixa claro que ele faz parte de seus planos. Pela primeira vez ele percebe que Margot tinha razão e repudia a moça. Ela tenta seu número de menina triste, já não funciona com ele. Bill é um diretor, consegue agora vislumbrar uma atuação em um mundo real.


Bill Sampson: Don't cry. Just score it as an incomplete forward pass.


De Witt, crítico de teatro, assiste a cena e se aproxima de Eve. Ele agora se interessa pela moça que passa a cortejá-lo. Em artigo ela enaltece a nova atriz e arrasa com Margot.

Toda a trama acaba por despertar Margot e provoca não só o reatamento com Bill mas o casamento dos dois. Pela primeira vez está realmente feliz, em paz consigo mesmo e com os amigos. Em jantar diz aos amigos que Eve fez mais bem para ela do que jamais poderia imaginar.

Outra grande personagem da trama é a amiga de Margo, Karen. Casada com um dramaturgo ela é personificação de uma pessoa comum arrebatada pelo clima fantástico das artes. É a última a enxergar Eve e mesmo assim ainda consegue se comover com ela para, em seguida, conhecer a face chantagista da moça. Enfim se convence que não há nada que Eve não seja capaz para conseguir o que quer.

É a vontade de potência descrita por Nietzsche, não há o menor sinal de moralidade em Eve. As pessoas ao seu redor são nada para ela, apenas instrumentos para a conquista de seus sonhos. De Witt enxerga isso desde o princípio por reconhecer nela sua própria natureza. Ambos estão reunidos pelo desprezo que sentem pela humanidade e seus dramas. São cruéis e implacáveis.


Addison DeWitt: That I should want you at all suddenly strikes me as the height of improbability... you're an improbable person, Eve, but so am I. We have that in common. Also a contempt for humanity, an inability to love or be loved, insatiable ambition - and talent. We deserve each other.


Ao final, após conseguir o papel e o prêmio de melhor atriz, Eve sente pela primeira vez o vazio e a tristeza. Conquistado seu sonho, não há nada mais para ela. Está diante da constatação que atingiu seu objetivo cedo demais e no fim do arco-íris não há um pote de ouro.

É um filme magnífico, que retrata a alma humana, as virtudes e os vícios, o descobrimento de si mesmo. Grandes atuações, roteiro maravilhoso, tudo funciona nesta verdadeira obra de arte do cinema.

Margo Channing: Funny business, a woman's career, the things you drop on the way up the ladder so you can move faster. You forget you'll need them again when you get back to being a woman. It's one career all females have in common - being a woman. Sooner or later we've got to work at it no matter how many other careers we've had or wanted. And in the last analysis nothing is any good unless you can look up just before dinner or turn around in bed and there he is. Without that you're not a woman. You're something with a French provincial office or a book full of clippings but you're not a woman. Slow curtain, the end.


Nota 10




----------------
Now playing: The Black Crowes - Hotel Illness
via FoxyTunes

Nenhum comentário: