quinta-feira, junho 26, 2008

Desacelerando

Estou tentando desacelerar um pouco minha vida. Há tempos tenho notado que minhas 24 horas são insuficientes, um pensamento que é bastante comum nos dias de hoje. De algumas leituras que fiz este ano cheguei a algumas conclusões.

De A Rebelião das Massas entendi uma obviedade que me deixou estupefado. Gasset, ainda na década de 30, deixou claro que o homem nunca na história tivera tantas possibilidades para construir sua vida. Antes, como tinha poucas opções, podia se dedicar intensamente a elas. Agora não, pois existem muitas coisas prazerosas que o homem moderno pode realizar.

É claro que não pode realizar todas e isto causará uma angústia muito grande, pois deverá optar e deixar de realizar muitas coisas que gostaria. Ou então tentar fazer um pouco de tudo, mas as possibilidades são tão grandes que fará tudo mal e ainda sobrará coisas por fazer.

Este dilema tem me acompanhado desde o ano passado.

Outro livro que me fez pensar foi o Evangelho de Tomé que me deu um entendimento novo sobre Deus. Em certo momento o autor fala sobre a prova da existência de Deus, de como seria cobrado em palestras para apresentar uma. Ele diz que a compreensão de Deus está na atenção. Observe com toda atenção possível um pequeno animal ou uma paisagem e você terá a intuição que realmente existe algo divino por trás daquilo. O livro é um imenso convite para que separemos algum tempo de nosso dia para realizar uma atividade, qualquer que seja, com real atenção.

Colocando os dois livros, um de frente para o outro, me pergunto: como é possível realizar algo com atenção com tantas possibilidades que o mundo contemporâneo nos dá? É possível?

Cada vez me convenço mais que temos que reduzir nossas áreas de atuação para poder concentrar mais em poucas coisas. Foi assim que diminui drasticamente meu tempo de televisão, parei de jogar xadrez, deixei a musculação. E ainda tenho mais cortes a realizar, um deles é diminuir meu tempo de internet, coisa que já tenho começado a fazer.

No início do ano, a primeira coisa que fazia quando chegava em casa era ligar o computador. Nesta semana só estou ligando perto da hora de dormir para ler meus e-mails e dar uma rápida olhada no noticiário e escrever alguma coisa no blog.

Estava acordando mais cedo para ler os jornais e escrever no blog. Também cortei essa parte, tem dias que não ligo o computador antes de ir trabalhar. Estou escrevendo hoje porque acordei cedo espontaneamente e não conseguir mais dormir.

Não é fácil desacelerar nos dias de hoje, mas é necessário. Quando vejo os consultórios de terapia lotados, os problemas de stress e até o número de suicídios, não deixo de me perguntar qual a influência desta quantidade gigantesca de possibilidades que o homem de hoje se vê obrigado a escolher? Da falta de atenção que acaba colocando nas tarefas que realiza? Na falta de tempo para refletir e tentar compreender a si mesmo?

Nunca se fez estas perguntas? É bom parar e começar a fazê-las, antes que seja tarde.

Um comentário:

Alcenir Ferreira disse...

Olá Jota

Me identifiquei muito com seu blog.Concordo plenamente com suas afirmações. O problema é que o mundo que nos encontramos, extremamente capitalista, exige que sejamos múltiplos e com qualidade em tudo que fazemos... daí tantos problemas e o crescimento do que eu costumo chamar de atual mau do século...a depressão...