segunda-feira, junho 16, 2008

Na fronteira

Em cada olhar o orgulho que o dever
inspira os homens de alma sincera,
que pacientes zelam em silenciosa espera,
pela segurança de pessoas que não podem ver.

Quem são estes bravos soldados?
Todas as etnias, diversas origens
juntos em sublime mistura de matizes
na coragem de seus ideais sentem-se abrigados,

do isolamento do mundo, das saudades,
que por vezes sentem daqueles que são seus,
mas afastados estão da profusão de maldades,

que pede entrada no coração dos homens,
mas encontram no bravo amazônico
porta fechada, guardadas por sublimes imagens.

Heleno Marques

Nenhum comentário: