quinta-feira, julho 03, 2008

Vida de secador

Como bom rubro-negro, estava secando o Fluminense na Libertadores. Nunca fui bom em secar o tricolor e depois das vitórias sobre São Paulo e Boca resolvi mudar de tática. Passei a ignorar o jogo.

Ontem, da mesma forma que no primeiro jogo da final, fui dormir na hora que começava a partida. Acordei às 0:10. Silêncio. O que significava que ou o Fluminense tinha perdido ou que a partida estava na prorrogação. Lutei contra a tentação de ligar a televisão; no meu imaginário se ligasse a TV com a bola rolando veria a vitória do Fluminense.

Tentei dormir novamente, não consegui. Ficava apenas olhando para o relógio e escutando o silêncio lá fora. Bom sinal. Depois das 0:30 sabia que se estivesse acontecendo o jogo, estava nos penaltis. Teve uma hora que julguei ter escutado gritos mas depois voltou o silêncio. Deve ter sido na hora em que Fernando Henrique pegou a penalidade.

Quando deu uma hora no relógio levantei. Lembrei que na semana anterior tinha ficado sabendo do resultado pela internet. Supersticioso, ignorei a televisão e fui para o computador. Só para dar um suspense a conexão demorou para entrar mas estava confiante, o silêncio era meu maior aliado.

Finalmente consegui entrar no uol e li a pequena nota dando conta da vitória nos penaltis da LDU. A partir daí foi só alegria. Liguei a televisão e fiquei curtindo a tristeza tricolor. Despeito de rubro-negro? Inveja?

Não me importa. Só sei que fui dormir com um imenso sorriso nos lábios...

Nenhum comentário: