terça-feira, agosto 19, 2008

Diferença entre vitória e derrota

Vitória

Quando César Cielo saiu da piscina após o bronze na prova dos 100 metros, declarou diante de Marcos Uchôa que perguntou "e agora?", "Agora vou ganhas os 50".

Este foi o tom do discurso do nadador brasileiro. Entrou para ganhar sua prova porque queria vencer e mostrou-se o mais deteminado na piscina. Seu discurso após o triunfo fugiu do ufanismo nacionalista de muitos atletas brasileiros; em nenhum momento usou a expressão "povo brasileiro", ao invés declarou sem a menor vergonha: "eu sou campeão olímpico!".

Para vencer procurou os melhores. Deixou o Brasil e passou três anos treinando duro nos Estados Unidos, fez os sacrifícios que achou necessário e dedicou-se ao seu sonho. O Brasil não teve nada a ver com isso. Procurava a satisfação pessoal, o triunfo de sua própria individualidade.


Derrota

Como torcedor fiquei frustrado quando Diego Hipólito caiu de joelhos no chão em sua últim acrobacia. Era o fim do sonho da medalha de ouro, um sonho paupável pois era o favorito da prova. Só após a prova fui compreender que talvez não merecesse o outro. Chorando, pediu desculpas ao povo brasileiro.

Desculpas por que? O que ele deve a esta massa ignorante que não se interessa por esportes olímpicos? Que só reuni-se eventualmente quando percebe que existe chances de um triunfo brasileiro, buscando no esporte um consolo para suas próprias mazelas. Não ve graça quando a competição envolve apenas brasileiros ou apenas estrangeiros; no fundo quer uma pequena reparação para seu próprio complexo de inferioridade.

Este quadro que descrevo é de minha própria pessoa. Continuo a torcer pelos brasileiros porque gosto de competições esportivas, gosto de ver o triunfo do ser humano. Não me deixo mais levar por este espírito ufanista rasteiro, não acho que atletas devam defender suas pátrias, devem defender seus próprios sonhos.

Diego não falhou com o povo brasileiro, falhou consigo mesmo e não há vergonha nisso. Quem deseja vencer deve estar pronto para a derrota, é do jogo.

Nenhum comentário: