segunda-feira, setembro 08, 2008

Livros de Não ficção

Normalmente as revistas brasileiras publicam suas listas de livros de ficção e de não ficção. Não gosto das coisas definidas pela antítese de outras, mas não consigo pensar em nenhum nome melhor para livros de não ficção, portanto, vai este mesmo.

Até dois anos atrás não havia lido praticamente nenhum livro enquadrado nesta categoria. Venho tentado recuperar este tempo extraordinariamente perdido e tenho hoje uma estante razoável com livros de filosofia, história, política, etc.

Do que li nestes dois anos resolvi fazer meu top 5:

  1. Apologia de Sócrates (Platão) - É um livro extremamente curto mas de profundas reflexões. Mais do que descrever os discursos do filósofo no julgamento que o condenou, ficamos sabendo da natureza de sua missão e sua relação com a divindade. Com profunda humildade Sócrates se colocava como um instrumento dos Deuses que estava na terra em uma missão divina de ensinar as pessoas a pensarem por si mesmas.
  2. Fundamentos de Antropologia (Stork e Echevarría) - Neste livro os autores dissecam as dimensões da existência humana. Vida, família, política, sociedade, objetivos, justiça, tudo é assunto para a análise da nossa natureza. No plano de fundo Aristóteles. Uma de minhas obras de cabeceira.
  3. O Saber dos Antigos (Giovani Reale) - O italiano defende a tese que, conforme previsto por Nietzsche, o homem matou Deus e inverteu os valores clássicos. O problema é que o espaço que antes era ocupado pela divindade foi substituído originando os males do mundo atual. Ele apresenta os 10 principais males e propões remédios que já haviam sido propostos pelos clássicos gregos há muito tempo atrás. Um livro fascinante que termina com a oração do filósofo de Sócrates.
  4. A Rebelião das Massas (Ortega Y Gasset) - No início da década de 30, o grande filósofo espanhou desnudou a sociedade que se formava e apresentou-nos a sua figura símbolo, o homem massa. Foi um chute no estômago, e bem dado. Hoje fico olhando para este mundo repleto de homens massas e me perguntando: onde foi que perdemos o rumo?
  5. Raízes do Brasil (Sérgio Buarque de Holanda) - Não dá para entender a formação do homem brasileiro sem ler esta obra. Nem a principal contribuição brasileira para o mundo que foi mal entendida por tanta gente: o homem cordial. Você termina o livro encarando o Brasil de forma bem diferente de quando começou...

Nenhum comentário: