quarta-feira, setembro 24, 2008

Tentando entender Hegel

Estou lendo sobre a dialética de Hegel no livro de Mário Ferreira dos Santos e confesso que estou apanhando um bocado. Muitas partes fogem a meu nível de compreensão mas aos poucos eu chego lá.

Tenho recorrido a outras fontes para tentar entendê-lo aos poucos. Seu pensamento originou muitas correntes importantes que influenciam até nos dias de hoje, sendo a mais conhecia o marxismo. O ponto de partida para as teorias de Marx estão na dialética hegeliana que por ele foi transformada na dialética materialista.

Hegel acreditava em um espírito absoluto que estava por trás de toda história; mais ainda, era a própria história. Falava da marcha da razão pelo mundo. A história era o lento caminhar da humanidade para o absoluto que para ele foi representada no estado prussiano e na sua própria filosofia.

O mundo caminhava através de um constante processo dialético onde uma tese seguia-se a um antítese e por fim a um síntese. Havia a monarquia absoluta, esta era a tese. Sua antítese era a democracia. Do confronto das duas surgiu a monarquia parlamentarista e assim por diante. A evolução humana era um constante devir dialético.

Um ponto que parece-me importante para entendê-lo é compreender a dialética entre quantidade e qualidade. Para Hegel as modificações qualitativas se dão por mudanças quantitativas que por estas mudanças muda de qualidade.

A água, por exemplo, perde uma quantidade de calor para resfriar. Ela chega a zero graus sem modificação aparente mas basta sacudi-la para que subtamente ela se transforme em gelo. A mudança qualitativa foi precedida pela mudança quantitativa e mais, ela ocorreu em um salto.

Viagem? Este é só o começo!

----------------
Now playing: Supertramp - Take The Long Way Home
via FoxyTunes

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabens pela iniciativa.
Lucienne de Brito Cerqueira

Haylton Gomes disse...

Estou no mesmo caminho de tentar entender pela segunda vez a filosofia desse grande filósofo criador de sistemas. Sinto uma grandeza e uma atração inexplicável por esse filósofo e sua filosofia. O que é interessante em Hegel é que ele é um gerador de insights, mesmo Karl Marx soube tirar proveito do mestre a pesar de ter formulado uma filosofia quase que oposta, se baseou quase que totalmente em Hegel.