segunda-feira, setembro 01, 2008

Tradição

Vi hoje a parte final de "Casamento Grego". É um destes filmes que não canso de assistir e sempre que está passando não resisto em dar uma espiadinha. Sempre tem um detalhe que não prestei atenção para refletir.

Em dado momento o irmão de Tula diz para ela que não pode deixar que o passado a defina, mas que este passado deve ser parte de sua nova vida. Talvez esteja aí todo o sentido de tradição e da sua importância para nossa evolução.

O homem não foi colocado no mundo agora, já está por aqui há algum tempo. Gerações e gerações nos antecederam construindo o conjunto de conhecimentos e práticas que entendemos como cultura. É a partir delas que devemos enxergar o futuro. Como já foi dito por alguém somos anões colocados sobre os ombros de gigantes e assim capazes de enxergar mais longe do que eles. Estes gigantes são o legado de nossos antepassados. Devemos ter sempre muito cuidado ao desprezar nosso passado.

Por isso desconfio de toda promessa de transformação radical, de revolução, seja de qual natureza for. Acredito que devemos mudar nossos rumos com passos seguros e bem pensados, devemos evoluir e não mudar tudo como se de uma hora para outra este conjunto se transformasse em uma praga.

O filme é uma gigantes homenagem à cultura. Tula tenta se revoltar contra ela mas compreende através da reverência de Ian que ela possui uma herança de extraordinária riqueza a ser preservada. Não intacta, mas cuidadosamente trabalhada. Mais importante ainda, existem valores universais para todas as épocas que deveriam ser a espinha dorsal da humanidade. Nos últimos tempos um quantidade cada vez maior de charlatões nos fizeram acreditar que valores são relativos, que devem evoluir com a história. Nos fizeram duvidar de quem nunca deveríamos duvidar, justamente as pessoas que mais nos querem bem no mundo, nossos pais.

Casamento Grego tem em seu cerne o que há de mais sagrado em nossa civização, a família. Ela não existe por acaso, constitui-se o núcleo social de nossa existência; nenhum esforço é pouco para preservá-la. É justamente sobre ela que agem os destruidores, os mal intensionados. A humanidade está perdendo esta guerra, muito pela nossa incapacidade de pensar livremente pois estamos cada vez mais presos em estruturas mentais idealizadas por falsos humanistas. Um homem incapaz de pensar e de se expressar já perdeu a batalha, tornou-se massa de manobra para os engenheiros sociais que pretendem transformar a humanidade.

Estamos aqui e temos o que temos por força de nossos antepassados. Devemos a eles ao menos o respeito por suas obas e pelo legado que nos deixaram. Antes de sair jogando fora uma tradição devemos nos perguntar se temos absoluta certeza que ela deve ser descartada. Existindo a menor dúvida é melhor deixá-las onde estão, por causa delas somos o que somos.

Nenhum comentário: