domingo, outubro 12, 2008

Ontem tentamos ir no Bar Fly em Campo Grande. Trata-se de um bar de rock e ia tocar a banda Velhas Virgens, de quem recebi boas referências. Infelizmente chegamos muito tarde; haviam muitas pessoas de fora e o ingresso que era R$ 20 já estava sendo negociado a R$ 50.

Ficamos do lado de fora tomando uma cerveja enquanto observávamos a cena que aquele conjunto de pessoas protagonizava. Muita bebida, drogas, e muitas pessoas desacordadas. Tinha gente apagada para tudo quanto é lado.

Procurei refletir sobre as motivações de cada um. Como adoro rock, muitas vezes freqüentei lugares assim. Bebia minha cerveja mas nada que me fizesse passar da conta, estava lá porque tinha, e tenho, uma necessidade de curtir o som.

Aquelas pessoas desmaiadas não estavam curtindo um som. Beberam e se drogaram até cair. O que pensam da vida? O que as motiva? O que acham que podem ganhar com aquele exagero todo?

Não eram a maioria, deixo bem claro. Haviam pessoas de tudo que é tipo. Gente calma que acompanhava a corrida de F1 na televisão da barraca de cachorro quente, gente que conversava animadamente, gente namorando. No entanto o grupo dos chapadões era suficiente para ser notado, até mesmo pelo contraste.

Ali estava a amostra de parte da nossa juventude. Totalmente perdida, sem noção da própria existência, sem limites, sem compreensão da realidade. Alguns passarão a vida assim, alguns sairão, a maioria carregará marcas. Não se vive com esta intensidade sem ficar marcado. Esta é uma lição que aprenderão mais cedo ou mais tarde.

Um comentário:

guerson disse...

Para alguns é fase... vc não lembra quantas vezes ficou sentado numa calçada sem muita noção de onde estava? Eu me lembro das suas histórias... ;)

Também me lembro de que quando era adolescente, havia muito essa história de beber pra ficar bêbado. Mas hoje eu vejo o pessoal da minha turma e a maioria cresceu, encontrou seu caminho, viraram médicos, professores (escolares ou universitarios), programadores, etc. Será que principalmente entre os homens há uma fase na juventude onde o jovem quer testar seus próprios limites?