sexta-feira, outubro 17, 2008

Saudade

É na noite que surge a saudade
que sinto, percorrendo este corpo
e mente, que da vida é um farrapo,
insignificante e é verdade,

pois minha solidão nesta cidade
demonstra que sem ti, vazio copo
me torno na ilusão de ver o tempo
passando sem viver, sem a claridade

que recebo, tua luz em meu espírito,
que mostra-se perdido sem teu rumo,
amor que conquistei mesmo sem prumo,

naquele abençoado, porém insólito
instante que feliz encontrei seu amor,
nos seus braços, e curaste-me a dor.


Heleno Marques

Nenhum comentário: