terça-feira, dezembro 16, 2008

Criacionismo X Darwin

Há alguns dias, Reinaldo Azevedo tem tratado do tema em seu Blog. Uma reportagem do Estadão chamou atenção para o fato de algumas escolas cristãs estarem ensinando o Criacionismo, a criação do universo por Deus, a seus alunos. Pior, ensinavam esta tese como a verdade.

É uma absurdo, né? Uma escola particular cristã querer ensinar que existe um Deus criador do céu e da terra! Só faltam agora querer ensinar a Bíblia! Ou dizer que existiu um sujeito chamado Jesus Cristo que andou fazendo alguns milagres...

Tenham santa paciência! Ao contrário do que muitos pensam, não vejo nenhuma incoerência entra as duas teorias; até porque a ciência ainda provará todas as leis divinas. Um Deus de poder infinito não poderia realizar a criação através de leis de sua própria autoria. As leis naturais que tanto falam, não poderiam também ser criação divina? Onde a seleção natural não poderia ser uma criação de Deus para dar ordem ao universo? Sim, Darwin pode ter topada com uma das leis de Deus. Muitas inda virão.

Para mim não há exclusão entre a ciência e a religião, a primeira explica as leis da segunda. A Folha de São Paulo apresenta um editorial a respeito no dia de hoje. Posso não concordar com a opinião do jornal, mas reconheço que o trecho é correto.

O jornal condena o ensino do criacionismo nas aulas de ciência; tal prática deveria ser ensinada apenas na aula de religião. Para um cristão verdadeiro, a ciência se confunde com a religião pois esta apresenta a explicação para o mundo; mais do que obscurescer, ela amplia o entendimento da ciência. Querer separar as duas coisas é uma opinião de quem não acredita verdadeiramente na fé cristã ou mesmo judáica.

Entretanto, o jornal é coerente e certeiro em sua conclusão. No máximo o estado pode criticar esta abordagem por parte das escolas particulares. Se os pais aceitam que se ensine o criacionismo como uma verdade em sua fé não cabe ao estado interferir.

Este debate é importante e transcende até mesmo ao próprio criacionismo. Tem a ver com a liberdade para escolas particulares __ esta palavra é importante __ e pais poderem optar pelo ensino dos valores culturais que receberam aos seus filhos, coisa que a patrulha politicamente correta abomina e quer impedir a todo custo.



2 comentários:

Alexandra disse...

bom, uma coisa é acreditar que Deus está por traz da evolução humana e de todos os mistérios da ciência. O próprio Einstein acreditava nisso. Outra bem diferente é acreditar que o mundo foi criada a uns 5 mil (ou 10 mil) anos atrás e que foi povoado depois que Adão e Eva foram expulsos do paraíso.

infelizmente, boa parte dos que querem ensinar o creacionismo em aulas de ciências não querem ensiná-lo ao lado da teoria da evolução, nessas classes, a teoria da evolução vira uma mentira usada pelos ateus em uma deturpação da matéria. É 8 ou 80.

Mas realmente, se a escola é particular e não recebe nenhuma subvenção pública e os pais estão de acordo, ninguém tem nada com isso.

Pessoalmente, eu colocaria meus filhos em escolas onde tivesse aulas de religião mas que fossem ecumêmicas, algo como "as religiões do mundo", e onde as crianças pudessem conviver com crianças de outras religiões.

Marcos Guerson Jr disse...

Cuidado com a intolerância dos tolerantes! Eu também não acredito que existiram Adão e Eva, pelo menos de maneira literal. Porém não posso condenar quem acredite e muito menos que tente passar esta crença para seus filhos.

Acredito na Bíblia como a revelação divina, porém escrita em uma linguagem simbólica. Fatos históricos e mensagens figuradas são passadas em suas páginas. Era preciso que fosse assim pois grande parte do universo e da criação não pode ser descrita através da linguagem.

Bruno Tolentino, um grande poeta brasileiro falecido ano passado chamava atenção para este fato: a prosa não consegue captar o mundo em sua essência. Daí ter usado a poesia para escrever suas obras. Existe muita coisa no universo que foge aos limites da nossa razão e, em conseqüência, à própria ciência.

Uma escola cristão deve ensinar o darwinismo como a explicação científica mais aceita no mundo para a origem e desenvolvimento das espécies. A maioria que condena o ensino do criacionismo, deseja que o darwinismo seja ensinado como uma verdade, o que nem Darwin arriscou a afirmar.

O fato de uma escola ser católica, judaica, batista ou qualquer religião, não impede de que se ensine, mesmo que superficialmente, a visão de mundo das outras religiões.No entanto, elas devem ser fiéis a suas próprias crenças. Os pais quando procuram uma escola religiosa desejam justamente isso, que a escola transmita estes valores a seus filhos.

Cuidado com este seu último argumento. Fica parecendo que as crianças educadas em uma escola religiosa será incapaz de conviver com outras religiões. Não é por aí. A maioria das religiões do mundo possuem o espírito de tolerância, de respeito ao próximo. Basta que seus crentes sigam os seus próprios valores. Eu não preciso saber nada do budismo para respeitar o budista. Não é pela religião que se respeita ou deixa de respeitar uma pessoa.