sábado, fevereiro 14, 2009

A Traição dos Intelectuais - Julien Benda

Estes é um dos livros que merecem uma atenção especial. Tem tudo a ver com meus pensamentos sobre o mundo de hoje, valeu uma resenha especial que pode ser acessada aqui.

Benda trata neste livro do papel dos intelectuais e da traição que o intelectual moderno pratica. Para ele, o papel do intelectual é cultuar os valores abstratos da verdade, justiça e razão. Mais do que isso, sem nenhum interesse prático. Seu modelo é Sócrates e seu amor a sabedoria, sua procura pela verdade.

O intelectual moderno teria se deixado levar pela paixão polícita e se colocado a serviço dos interesses práticos. Não quer mais buscar a verdade, quer provar que já a possui. Não quer entender o mundo, quer mudá-lo. Não quer chamar o leigo a razão, quer juntar-se a ele na paixão pelo que considera real.

Escrito em 1927, é um destes livros proféticos. Benda afirmava que a entrega dos intelectuais a paixões políticas potencializaria a ambição das massas e um conflito total e violente entre nações ou classes seria uma questão de tempo, como a II Guerra Mundial.

Ao final, em um parágrafo impressionante, previu algo que ainda não aconteceu mas que está se realizando. Descreveu o que é um dos meus maiores pesadelos hoje, o governo mundial e a sociedade perfeita:

“Chegar-se-á assim a uma “fraternidade universal”, mas que, longe de ser a abolição do espírito de nação com seus apetites e orgulhos, será, ao contrário, a forma suprema dele, a nação chamada o Homem e o inimigo chamando-se Deus. E a partir de então, unificada em um imenso exército, em uma imensa fábrica, não conhecendo mais senão heroísmos, disciplinas e invenções, desacreditando toda atividade livre e desinteressada, desistindo de pôr o bem para além do mundo real e tendo por deus somente ela mesma e suas vontades, a humanidade alcançará grandes realizações, quero dizer, um domínio realmente grandioso sobre a matéria que a cerca, uma consciência realmente satisfeita com seu poder e sua grandeza. E a história sorrirá de pensar que Sócrates e Jesus Cristo morreram por essa espécie."

Resenha Completa
----------------
Now playing: The Mamas and The Papas - Somebody Groovy
via FoxyTunes

2 comentários:

Alexandra disse...

é... a década de 1920, 30 e 40 foram bem deprimentes para os intelectuais europeus...

Girls of Music disse...

Chaui e Bobbio trairam o pensamento puro intelectual em detrimento do "intelectual engajado", escravo da ideologia, parcial e vendido a causa. Sacrificando sua liberdade pelo comando central, dissimulando o desejo cruel do comando total, estes autores contribuiram em sua interpretação torta e triste para vender uma farsa, a da boa intenção do intelectual engajado. mais dois traidores da beleza, da verdade e da liberdade por um punhado de 30 moedas pela vida humana. Hoje, com o conhecimento historico e factual do desastre do governo centralizador e unico, central e absolutista socialista, vimos a fome, a miseria e a morte onde havia promessas de redenção do homem pelo proprio homem. Triste fim e desmascarar de uma mentira. A religião do homem, o credo de marx so traz destruição e morte. E os intelectuais engajados são seus profetas. O livro de Brenda é libertador, suas interpretações canhestras verdadeiras traições.