segunda-feira, março 09, 2009

Platão e o Ocidente


De vez em quando lemos um artigo que realmente nos faz mudar a forma de ver as coisas. Lendo a edição da revista Dicta e Contradicta (fabulosa!), deparei-me com um artigo de Marcelo Consentino sobre as idéias de Platão descritas em a República.

Consentino refuta o pensamento que muito já escutei __ ainda não li a República __ que Platão teria escrito uma utopia, a primeira proposta escrita de uma sociedade ideal. Segundo o articulista, Platão estava justamente investigando como deveria se comportar uma sociedade e neste sentido, fez o esboço de uma sociedade saudável para comparar com as existentes.

A idéia mais interessante de Platão neste sentido, é que a sociedade seria o homem escrito em letras maiúsculas. Em outras palavras, a sociedade é a soma dos indivíduos que a compõe. Suas características seriam a de seus elementos, a nação representaria o seu elemento médio.

Seguindo este insight, o filósofo partiu do estudo da alma humana para primeiro entender o indivíduo saudável. Depois, por extensão, estudou a sociedade. O ponto principal foi sua idéia das três dimensões irredutíveis da alma, a natural, a racional e a espiritual. Em termos de sociedade, corresponderia a economia, política e religião.

Estas três potências deveriam estar em pleno funcionamento e harmonizadas de acordo com uma hierarquia. A natural nos daria a vida, a racional o futuro e a espiritual a melhor vida e o melhor futuro, o que não dependeria apenas do homem, precisaria de algo acima dele que Platão chamou de bem e Consentino chama de Deus.

O resumo do artigo encontra-se aqui.

----------------
Now playing: The Police - Don't Stand So Close To Me
via FoxyTunes

Nenhum comentário: