segunda-feira, agosto 03, 2009

Jogos antigos

No sábado fui numa festa infantil, levar minha filha. Meu filho me acompanhou e conversamos um bom tempo. Um dos assuntos foram jogos de computador.

Ele está doido para conseguir um jogo antigo, para os padrões cibernéticos, o Grim Fandango. Tínhamos o jogo, mas ele simplesmente explodiu dentro do drive. Acabamos conversando sobre outros jogos como A Ilha dos Macacos, O Dia do Tentáculo, Full Throthle e outros. Quem viveu a década de 90 sabe do que estou falando.

Fiquei refletindo depois. Estes jogos eram de uma inteligência rara, exigiam do jogador criatividade, pesquisa, insight, visão de mundo. Lembro que em O Dia do Tentáculo era necessário alguns conhecimentos básicos sobre acontecimentos históricos dos Estados Unidos para desvendar alguns enigmas, como a declaração da independência e a descoberta da eletricidade por Benjamim Franklin. Senso comum também era exigido como por exemplo saber que depois que se lava um carro (ou carruagem), vem uma chuva ou que o vinho depois de alguns séculos transforma-se em vinagre.

Estes jogos simplesmente desapareceram. Hoje vejo muita ação, habilidade, concentração e pouco uso da mente pelo jogador. O que aconteceu? Por que este tipo de jogo sumiu das prateleiras? Por que as empresas como a Lucas Arts pararam o desenvolvimento de jogos como o Dia do Tentáculo?

É fácil responder que é coisa do mercado. No entanto, que mercado é esse que abandona um tipo de produto que sempre gerou lucro? Estes jogos desenvolviam uma importante característica nos jovens, o poder de raciocínio. Será que está aí o problema? É um paradoxo que ao mesmo tempo que a sociedade se torna mais tecnológica e supostamente mais inteligente, os jogos de raciocínio sejam substituídos por jogos de controle e repetição.

Um alento é o iphone. Alguns destes jogos mais antigos, como Myst e Monkey Island já foram lançados para o aparelho. Que seja uma porta sendo aberta e não o último suspiro de uma época que não retornará mais.

Um comentário:

Alexandra disse...

Esses jogos ainda existem! Eu também tinha a impressão que todos os jogos home em dia eram mais de ação mas agora que o Alan tem um PlayStation 3, vimos que não é bem assim.

Ele comprou 2 jogos que são bem baseados no raciocínio, em resolver charadas, etc. Um se chama Oblivion e o outro é o Bioshock. O Oblivion é incrível - o Alan joga ele há meses e ainda não passou pelo mesmo lugar duas vezes...