sábado, setembro 26, 2009

Aborto, Suicídio e Pena de Morte - Celso Martins

Celso Martins é médico e espírita; seu livro tem estas duas abordagens pois envolve tanto os conceitos médicos envolvidos nestes temas tão polêmicos nos dias de hoje quanto a visão cristã destas chagas que ainda persistem nos dias de hoje. O livro ainda possui uma parte sobre a eutanásia.

O espiritismo é bem claro sobre todos estes temas.

O aborto é uma violência contra outro ser humano, com o agravante de este estar totalmente desprotegido e ser realizado pela pessoa que tinha a obrigação de protegê-lo. Nada é por acaso e geralmente não se recebe uma alma para cuidar sem uma combinação prévia; o que acontece, na grande maioria das vezes, é a fuga da responsabilidade assumida pelos pais da criança. Esta responsabilidade será cobrada de todos os envolvidos, pais, médicos, incentivadores, dependendo de seu grau de compreensão, do crime cometido contra as leis de Deus.

Igualmente o suicídio é outro crime contra a vida que lhe foi confiada. A doutrina espírita explica que a vida não cessa após a morte, continua em outro plano. Longe de fugir de suas angústias, o suicídio acrescenta outras ainda maiores e muito mais graves. Evocando a obra "Céu e Inferno" de Alan Kardec, Martins mostra toda implicação moral envolvida no ato do suicídio. Martins defende a importância da religião, qualquer que seja ela, para combater este mal que assola a humanidade desde sempre.

A pena de morte é afastada tanto como solução para o problema da violência tanto como fator de dissuasão quanto como forma de proteger a sociedade. Em última instância, a prisão perpétua seria suficiente para afastar o criminoso irrecuperável da sociedade. Lembra que a punição deve sempre buscar a recuperação do indivíduo e a importância da educação, entendida em seu conceito mais amplo, envolvendo moral e religiosidade, para combater a criminalidade.

Por fim, a eutanásia. Martins lembra que mesmo nos casos crônicos, a sobrevida do paciente pode ser fundamental para o resgate de muitas faltas. Sem contar que trata-se também de uma prova para os parentes que recebem a oportunidade de se doar para um ente querido.

Estes quatro temas são apresentados por Celso Martins e muitos casos que deparou-se em sua vida profissional e pessoal são apresentados como exemplos das explicações trazidas pelos espíritos nas mais diversas obras psicografadas. São temas polêmicos e que não podem ser tratados de maneira leviana, sem respeito e busca do aprofundamento. A vida na terra é um presente que Deus nos dá para nosso apefeiçoamento, não cabe a ninguém abreviá-la indevidamente.

Nenhum comentário: