quinta-feira, setembro 17, 2009

Leibniz - G. Macdonald Ross (Coleção Mestres do Pensar)


Gottfried Wilheim von Leibniz nasceu em Leipzing em 1646 e de modo algum pode-se dizer que ficou restrito aos limites da filosofia alemã de sua época. Ao contrário, viveu na França, Holanda, Inglaterra e esta mudança constante contribuiu para que perseguisse de fato um filosofar universal e rejeitasse qualquer noção de nacionalismo ou patriotismo. Na verdade, esta noção não fazia muito sentido para um homem que considerava conceitos como "povo alemão", "sociedade", "cientistas", "rebanho", algo sem existência real; o que existia era o indivíduo, o homem concreto.

Leibniz foi filósofo, cientista, matemático, inventor, empresário, político e teólogo; tudo com incrível competência. Esboçou um plano detalhado para que os franceses conquistassem o Egito que foi seguido por Napoleão quase um século depois; foi o artífice da coroação da família real de Hannover na Inglaterra (seu argumento que não falavam inglês e, portanto, não interfeririam no parlamento foi impagável); idealizou o submarino; criou o cálculo diferencial e o sistema binário. Leibniz foi um homem ativo no sentido de tentar compreender o mundo e retratá-lo e para tanto apoiou-se profundamente em tudo que veio antes dele. Ao contrário dos seus contemporâneos, não rejeitou a escolástica e os antigos, para ele todas as escolas filosóficas traziam verdades que deveriam ser consideradas, o problema era o que negavam.

Fiel aos conceitos dialéticos do platonismo, Leibniz acreditava que em uma discussão, na maioria das vezes, ambos os lados possuíam argumentos legítimos e erravam ao tentar desqualificar o lado contrário; o caminho era separar a verdade de ambos os lados e construir idéias melhores. Um exemplo foi crença de toda a vida que o catolicismo e o protestantismo deveriam ser unificados novamente como uma única Igreja baseado nas verdades que ambos afirmavam.

Macdonald Ross fez um relato claro não só da vida do filósofo, mas principalmente de suas principais idéias, agrupando-as em matemática, ciência, metafísica, lógica e teologia. Mostrou a luta de Leibniz para conciliar os cartesianistas com os atomistas, modernos com ecolásticos, mecanicistas com vitalistas, liberdade com determinismo. Pode-se dizer que Leibniz dedicou sua vida à compreensão mútua, combatendo os dogmatismos intelectuais, mostrando que sua obra é mais atual do que nunca.


Nenhum comentário: