quarta-feira, outubro 07, 2009

Olimpíadas no Brasil

Eu não cheguei a torcer contra a escolha do Rio de Janeiro, mas fiquei longe de torcer por ela ou fazer festa depois. Sempre acompanhei Olimpíadas e acho que sediar o evento pode ser bom para um país ou pode ser ruim também; depende muito de como for feito. O paradigma do sucesso é Barcelona, uma cidade que se transformou por causa do evento; terá o Rio o mesmo destino?

Que a cidade será beneficiada, não tenho a menor dúvida. Queiram ou não queiram as autoridades, o caderno de encargo terá de ser cumprido. Minha maior dúvida é se este aproveitamento será o máximo possível, se faremos a coisa corretamente ou se nos contentaremos com "maquiagem". O Rio tem problemas crônicos, em especial a violência. A Olimpíada pode ser a senha para obrigar as autoridades federais __ sim, pois o problema foge, em muito, à capacidade estadual __ a colocar pela primeira vez como prioridade o combate ao crime organizado.

Os desafios são enormes. De cara vejo dois: violência e meio ambiente. Parece que não, mas o tempo é muito curto. As obras do Rio de Janeiro precisarão de licença ambiental. Se esta licença demorar o tanto que leva normalmente, haverão sérios problemas. A infra-estrutura para as Olimpíadas é bem diferente do Pan. Não se trata mais de uma dúzia de praças esportivas e uma vila olímpica. Haverá necessidade de obras em transporte público, despoluição da baía, centro de imprensa, hotéis, etc. A cidade terá que abrigar aquela multidão de turistas que são atraídos pelos jogos.

Quanto ao problema da violência, como vai ser? Será feito o combate ao banditismo ou acordo com traficantes para não perturbar durante os jogos? O PAC está sento tocado nas favelas __ faço questão do termo __ através de acordo com traficantes, o que já levou um jovem tenente ao banco dos réus em uma obra que o Exército deveria ter passado longe. Seguiremos o mesmo roteiro para os jogos? E os órgãos de direitos humanos dos bandidos? Como ficarão nesta confusão? Vão aceitar que a polícia faça o que deve ser feito?

Por fim, uma questão não menos importante. O Rio será beneficiado com os jogos, mas e o resto do país? Será prejudicado? Dinheiro não se planta em árvore e o fato de ter sido escolhido para sediar os jogos não criou, por si só, recursos. Estão falando em algo como 30 bilhões de dólares. De onde sairá este dinheiro? Como ficará o desenvolvimento do restante do país? Será tudo canalizado para a cidade maravilhosa? Se assim for, como ficarão as receitas? Todas para o Rio ou serão repartidas por que pagou o evento? Incluindo o pagador de impostos. Aliás, falando dele, haverá novos impostos para pagar a conta? Pegaremos empréstimos? Passaremos as conta para as futuras gerações?

Lendo o que vai acima, parece que sou contra o evento. Não chego a tanto. Apenas acho que todas estas perguntas são pertinentes e devem ser respondidas. Não cheguei nem a tocar no assunto corrupção e desvio de recursos, isto é outra estória. Vejo as Olimpíadas como uma oportunidade, uma chance para o Brasil (e não para governos). Se vamos aproveitá-la é a grande questão.

Um comentário:

Alexandra disse...

Concordo plenamente. Por isso não sou contra mas também não estou comemorando... afinal morei em duas cidades-exemplo na historia das olimpíadas: Barcelona, o exemplo de sucesso, onde as olimpíadas abriram uma era de renovação que continua até hoje, e Montreal, onde o fracasso financeiro foi tal, que ninguem queria sediar a olimpíada de 1984... Como diz uma amiga minha que estuda o tema, a maioria das cidades cai entre os dois extremos...

O lado bom é quebrar o jejum e ter finalmente uma olimpiada na america do sul...