segunda-feira, setembro 27, 2010

O maior dos impérios

Império
Como os Britânicos fizeram o mundo moderno
Niall Ferguson

Quando se fala em Império, o primeiro que vem a mente da maioria das pessoas, como referência, é o Império Romano. Outros pensam até no Macedônico de Alexandre, no americano de hoje. No entanto, o maior Império que já existiu em toda História, com todas as consequências próprias de tamanho poder, foi o Império Britânico, que chegou a dominar 1/4 do mundo durante alguns séculos.

Como isso foi possível? Como uma ilha e um povo reduzido conseguiu dominar continentes e populações gigantesca com um exército diminuto? Em que isso influenciou o mundo moderno? Quais as consequências reais deste domínio?

São as perguntas que Niall Ferguson coloca em "Império". Sua tese é que o domínio britânico foi tão fundamental na História que praticamente moldou o mundo de hoje, para o bem ou para o mal. Basta pensar que seus herdeiros, o Estados Unidos, foi sua colônia. Fala-se muito da globalização como um fenômeno contemporâneo, mas na verdade foi uma criação dos britânicos ao longo dos séculos XVII e XVIII.

Ferguson analisa o domínio britânico sobre 6 prismas: a conquista de mercados de bens (o papel dos piratas), o estabelecimento de mercados de trabalho (os plantadores), a expansão cultural (missionários), a implantação de governos fiéis á coroa (mandarins), o estabelecimento de mercados de capital (banqueiros) e finalmente da Guerra (os falidos).

Trata-se de um livro bastante interessante que mostra os acertos e erros dos britânicos durante a existência do Império. Deve-se ter em mente que o julgamento do papel dos britânicos deve ser feito em termos dos valores da época e não do que sabemos e cultuamos hoje. Muitos dos erros que hoje são considerados claros, não eram no passado.

Ferguson condena duramente seus compatriotas na questão da escravidão, das tentativas de exportar a força a cultura cristão em sociedades inteiras e a ferocidade com que os ingleses reagiram a muitas revoltas coloniais. Como foi possível a expansão de um povo que cultuava a liberdade através do imperialismo e o domínio de outros povos.

Não se deve cair no erro de considerar o Império Britânico o grande mal de sua época; ao contrário, seus rivais eram muito piores. Sempre foi possível ouvir vozes, dentro de suas fronteiras, em seu parlamento, nas discussões políticas, de pessoas protestando contra os abusos britânicos, coisa não muito comuns em outros lugares.

Quando o Império Britânico foi desafiado pelas novas potências imperialistas como a Alemanha nazista e o Japão, teve a oportunidade de deixar os alemães conquistarem a Europa e ficar com suas colônias. Liderados por Churchill, fizeram a coisa certa, enfrentaram os novos impérios e pagaram o preço com a perda de seu próprio Império. Foi uma decisão consciente que redime alguns dos crimes cometidos ao longo dos últimos séculos pelos ingleses.

Analisar o papel dos britânicos na construção do mundo moderno desperta paixões e julgamentos dos mais diversos. O que fica, entretanto, é a constatação que o mundo seria bem diferente hoje se não fosse a existência do Império Britânico. Se valeu a pena, cabe a cada um estudar para responder. Foi o que Ferguson fez.

Nenhum comentário: