terça-feira, março 22, 2011

Sabres e Utopias - Mario Vargas Llosa

O desconhecimento que nós brasileiros temos da América Latina é brutal e isso fica patente nessa coleção de artigos do agora Nobel escritor peruano Mario Vargas Llosa. Uma coleção de políticos de norte a sul do continente, ditaduras e democracias, se sucedem nas páginas sempre muito bem escritas de Sabres e Utopias. O eixo condutor? A defesa intrangigente da liberdade diante das suas maiores ameaças, o despotismo, o nacionalismo, o autoritarismo.

Percebe-se claramente o desencanto do escritor como o socialismo ao mostrar seu entusiasmo com o regime de Fidel Castro em seus


primeiros escritos e a constatação que o paraíso de liberdade havia se transformado em uma ditadura brutal com a consequente escravidão do povo cubano. Convenceu-se que o livre mercado é condição necessária para a liberdade política e que as utopias contribuiram para o atraso da América Latina.

Sua paixão pela literatura transborda em seus textos políticos e dentro do contexto do calderão político de sua época exalta escritores como Falkner, sua maior referência, Borges, Euclides da Cunha e Jorge Amado. Nos raros textos sobre o Brasil, mostra que conhece mais de nossos problemas do que nós do restante do continente, o que fica patente em sua crítica a política externa de aproximação com ditadores do governo Lula.

Sabres e Utopias é um painel sobre a América Latina e uma crítica aos ditadores que utilizaram do nacionalismo para impedir uma maior integração entre os países da região e desperdiçar imensos recursos na busca de utopias irrealizáveis.


- Posted using BlogPress from my iPad

Nenhum comentário: